Parallel
31
Salmo 31
Para o mestre de música. Salmo davídico.
1Em ti, Senhor, me refugio;
nunca permitas que eu seja humilhado;
livra-me pela tua justiça.
2Inclina os teus ouvidos para mim,
vem livrar-me depressa!
Sê minha rocha de refúgio,
uma fortaleza poderosa para me salvar.
3Sim, tu és a minha rocha e a minha fortaleza;
por amor do teu nome, conduze-me e guia-me.
4Tira-me da armadilha que me prepararam,
pois tu és o meu refúgio.
5Nas tuas mãos entrego o meu espírito;
resgata-me, Senhor, Deus da verdade.
6Odeio aqueles que se apegam a ídolos inúteis;
eu, porém, confio no Senhor.
7Exultarei com grande alegria por teu amor,
pois viste a minha aflição
e conheceste a angústia da minha alma.
8Não me entregaste
nas mãos dos meus inimigos;
deste-me segurança e liberdade.#31.8 Hebraico: puseste os meus pés num lugar espaçoso.
9Misericórdia, Senhor! Estou em desespero!
A tristeza me consome
a vista, o vigor e o apetite#31.9 Ou os olhos, a garganta e o ventre.
10Minha vida é consumida pela angústia,
e os meus anos pelo gemido;
minha aflição#31.10 Ou culpa esgota as minhas forças,
e os meus ossos se enfraquecem.
11Por causa de todos os meus adversários,
sou motivo de ultraje para os meus vizinhos
e de medo para os meus amigos;
os que me veem na rua fogem de mim.
12Sou esquecido por eles
como se estivesse morto;
tornei-me como um pote quebrado.
13Ouço muitos cochicharem a meu respeito;
o pavor me domina,
pois conspiram contra mim,
tramando tirar-me a vida.
14Mas eu confio em ti, Senhor,
e digo: Tu és o meu Deus.
15O meu futuro está nas tuas mãos;
livra-me dos meus inimigos
e daqueles que me perseguem.
16Faze o teu rosto resplandecer
sobre#31.16 Isto é, mostra a tua bondade para com. o teu servo;
salva-me por teu amor leal.
17Não permitas que eu seja humilhado, Senhor,
pois tenho clamado a ti;
mas que os ímpios sejam humilhados,
e calados fiquem no Sheol#31.17 Essa palavra pode ser traduzida por sepultura, profundezas, ou morte..
18Sejam emudecidos os seus lábios mentirosos,
pois com arrogância e desprezo
humilham os justos.
19Como é grande a tua bondade,
que reservaste para aqueles que te temem,
e que, à vista dos homens,
concedes àqueles que se refugiam em ti!
20No abrigo da tua presença os escondes
das intrigas dos homens;
na tua habitação os proteges
das línguas acusadoras.
21Bendito seja o Senhor,
pois mostrou o seu maravilhoso amor
para comigo
quando eu estava numa cidade cercada.
22Alarmado, eu disse:
Fui excluído da tua presença!
Contudo, ouviste as minhas súplicas
quando clamei a ti por socorro.
23Amem o Senhor, todos vocês, os seus santos!
O Senhor preserva os fiéis,
mas aos arrogantes dá o que merecem.
24Sejam fortes e corajosos,
todos vocês que esperam no Senhor!