Parallel
147
Salmo 147
1Aleluia!
Como é bom cantar louvores ao nosso Deus!
Como é agradável e próprio louvá-lo!
2O Senhor edifica Jerusalém;
ele reúne os exilados de Israel.
3Só ele cura os de coração quebrantado
e cuida das suas feridas.
4Ele determina o número de estrelas
e chama cada uma pelo nome.
5Grande é o nosso Soberano
e tremendo é o seu poder;
é impossível medir o seu entendimento.
6O Senhor sustém o oprimido,
mas lança por terra o ímpio.
7Cantem ao Senhor com ações de graças;
ao som da harpa façam música
para o nosso Deus.
8Ele cobre o céu de nuvens,
concede chuvas à terra
e faz crescer a relva nas colinas.
9Ele dá alimento aos animais,
e aos filhotes dos corvos
quando gritam de fome.
10Não é a força do cavalo
que lhe dá satisfação,
nem é a agilidade do homem que lhe agrada;
11o Senhor se agrada dos que o temem,
dos que depositam sua esperança no seu amor leal.
12Exalte o Senhor, ó Jerusalém!
Louve o seu Deus, ó Sião,
13pois ele reforçou as trancas de suas portas
e abençoou o seu povo, que lá habita.
14É ele que mantém as suas fronteiras
em segurança
e que a supre do melhor do trigo.
15Ele envia sua ordem à terra,
e sua palavra corre veloz.
16Faz cair a neve como lã,
e espalha a geada como cinza.
17Faz cair o gelo como se fosse pedra.
Quem pode suportar o seu frio?
18Ele envia a sua palavra, e o gelo derrete;
envia o seu sopro, e as águas tornam a correr.
19Ele revela a sua palavra a Jacó,
os seus decretos e ordenanças a Israel.
20Ele não fez isso a nenhuma outra nação;
todas as outras desconhecem
as suas ordenanças.
Aleluia!