Cruzando a Linha De Chegada

Dia 1 de 3 • Leitura do dia

Devocional

Muitos se frustram na caminhada cristã, porque acham que ela é uma corrida em direção às bênçãos de Deus. Na verdade, a caminhada cristã é uma maratona, em que o principal objetivo não é cruzar a linha de chegada, e sim desfrutar da jornada de um relacionamento com o Senhor. 


Para ser bem-sucedido nesse trajeto, precisamos dar três passos: esquecer – prosseguir – avançar.


PRIMEIRO PASSO: ESQUECER


A primeira coisa que devemos fazer, se quisermos alcançar o prêmio final, é “nos esquecermos das coisas que para trás ficam”. 


Na época em que o Ap. Paulo escreveu essas palavras, os corredores gregos disputavam as competições completamente despidos de suas vestimentas. Eles não queriam que nada atrapalhasse seu objetivo de alcançar o alvo. Hoje em dia, as roupas dos atletas têm se tornado cada vez mais tecnológicas, para reduzir o atrito e aumentar a velocidade dos esportistas.


No entanto, muitos de nós têm iniciado a caminhada cristã carregando uma mochila nas costas, malas nas mãos, sacolas nos ombros e um fardo ao redor do pescoço! Quando abrigamos amargura, injustiças, ofensas, pecados, vingança, rótulos e toda forma de rejeição em nosso coração, estamos acumulando um excesso de bagagem em nossa viagem. Até as boas memórias podem se tornar uma prisão, se resistirmos a prosseguir na caminhada, por estarmos presos ao passado, achando que os bons tempos se foram.


Jesus ensinou esse princípio a seus discípulos desde o seu chamamento: se alguém não vos receber ou ouvir suas palavras, sacudam o pó ao sair daquela casa ou cidade (Mateus 10:14). Um grãozinho de poeira pode não parecer grande coisa, mas quando o pó começa a se acumular, toma conta de todo o ambiente. Cada pequena afronta que internalizamos adiciona volume em nossa bagagem, até que precisamos interromper a viagem, por nos sentirmos cansados, lentos e sobrecarregados. 


Jesus nos instruiu como acabar com a sobrecarga: “Vinde a mim, todos os que estais cansados e sobrecarregados, e eu vos aliviarei.” (Mateus 11:28). Encontramos descanso para nossa alma, quando buscamos a Jesus e entregamos no altar todo peso de frustração e pecado acumulados. Então, decidimos trocar o jugo do passado pelo fardo de Jesus, o que significa assumir a responsabilidade pela realização de nosso propósito divino. O fardo de Jesus é suave e leve, porque ao cumprir nossa missão de vida encontramos o sentido de nossa existência e a fonte da verdadeira satisfação!