MEDITAÇÕES SOBRE O EVANGELHO SEGUNDO LUCAS PARA A FAMÍLIA

Devocional
REFLEXÃO 19 "Um rei na cruz, dois criminosos ao seu lado":
Finalmente, aquilo que Jesus havia anunciado acontece. As horas finais da história da paixão são um resumo não apenas dos acontecimentos que ele previu e comunicou aos discípulos (9:21-27, 43-45; 18:31-34 e textos paralelos), mas também de seu estilo de vida. Jesus fora criticado por andar com pecadores e excluídos, e agora se via diante da morte, ao lado de dois criminosos. Talvez, ao vê-lo ali com os dois outros, João e Tiago tenham refletido sobre suas exigências e lembrado da pergunta de Jesus sobre serem batizados com o batismo dele e sobre beber de seu cálice de sofrimento (Marcos 10:38-40).
Lucas, porém, incluiu mais detalhes em seu relato da Paixão. Logo depois que Jesus partiu rumo ao lugar chamado Caveira, Simão de Cirene realizou a ação que Jesus havia dito aos discípulos que aceitassem, caso estivessem prontos para segui-lo: “... e lhe colocaram a cruz às costas, fazendo-o carregá-la atrás de Jesus” (23:26; ver 9:23:27; 14:25-27). Suas palavras para as mulheres que lamentavam e choravam por ele nos lembram de seu próprio lamento ao entrar em Jerusalém (19:41-44; 23:28-31). Todo o interrogatório antes que seja dada a sentença gira em torno da acusação feita contra ele pelos fariseus, pelos mestres da Lei e pelos sacerdotes, quando ele afirmava ser o Rei de Israel. No final, a sentença é uma declaração da realeza de Jesus, e fica pregada sobre sua cabeça (23:36).
Os últimos momentos antes da morte de Jesus são as novas “tentações” que ele tem de enfrentar. Assim como Satanás o havia provocado, duvidando de sua situação de Filho de Deus para fazer com que ele evitasse a fome ou ganhasse poder e notoriedade, agora ele escuta as mesmas palavras: “se você é o Rei dos Judeus, salve-se a si mesmo!” (23:35, 36, 39). Um dos criminosos crucificados com ele proclama a inocências dos dois – “Este homem não cometeu nenhum mal” (23:41) – e anuncia sua confiança na realeza de Jesus: “Jesus, lembra-te de mim quando entrares no teu Reino” (23:42). Jesus promete: “Hoje você estará comigo no Paraíso” (23:43). Essa promessa nos remete à presença salvadora de Jesus em outros momentos de sua vida: no nascimento, “Hoje, na cidade de Davi, lhes nasceu o Salvador” (2:11); na sinagoga de Nazaré, “Hoje se cumpriu a Escritura que vocês acabaram de ouvir” (4:21); e na casa de Zaqueu, “Hoje houve salvação nesta casa” (19:9). Finalmente, suas palavras de graça e obediência salvadoras foram cumpridas, e foi feito não o desejo de Jesus, mas sim o de seu Pai (22:42).