Escolhido: Lembre-se do Evangelho Todos os Dias

Dia 2 de 7 • Leitura do dia

Devocional

Meu amigo Ryan conta a história de um homem chamado Sr. Bi, que foi professor na Universidade de Pequim, conhecida como a "Harvard Chinesa". Ele contou uma piada na sala de aula sobre o Partido Comunista a um grupo de estudantes. Um desses alunos denunciou a piada à polícia. No dia seguinte, policiais invadiram o escritório do Sr. Bi e o levaram a uma prisão comunista distante e fria, sem aviso e sem um julgamento. 



Naquela manhã, ele acordou sendo um professor com um dos cargos mais prestigiados do cenário acadêmico mundial. Ao anoitecer, ele estava atrás das grades de uma prisão. As prisões chinesas, naquele tempo, eram um dos piores lugares na terra: antros horríveis de doenças, tortura e morte. O Sr. Bi caiu rapidamente em depressão e desespero. A depressão o levou a pensamentos suicidas em questão de semanas. Numa tarde, sob uma névoa de tristeza, ele foi até a janela da sua cela, que ficava no oitavo andar. Os chineses não colocavam vidros nas janelas das celas dos andares mais altos. Se um prisioneiro decidisse se lançar a sua morte, não era nenhum problema. 



O coração do Sr. Bi batia acelerado ao olhar para fora e pensar em pular e então aconteceu. Ele ouviu uma voz baixa dizer: "Não pule. Não pule. Não pule." Ele se sentou no meio da cela, desesperado. 



Lá, no piso duro de concreto, memórias inundaram a mente dele. Um amigo, um professor estrangeiro que era cristão, havia lhe falado do Evangelho. O sr. Bi orou: "Jesus, se Você for real, por favor me traga esse perdão e essa paz que meu amigo falou que Você prometeu. Em troca, oferecerei a minha vida e serviço à Ti". 



Ele olhou para cima e "O céu nunca fora tão azul, o sol nunca brilhara tanto através do pequeno buraco da janela e eu sentia a alegria inundar o meu coração como nunca havia sentido antes". 



Esse professor ilustre colocou todas as suas reservas de lado e gritou: "Eu tenho um futuro brilhante em Jesus Cristo!" Os guardas o ouviram e, de forma cruel, mandaram-no ficar quieto, mas a sua alegria não podia ser contida. Ele continuou gritando sem parar até que eles vieram até a cela e bateram nele. 



Uma pessoa em uma prisão liberta por acreditar no Evangelho de Jesus é mais livre do que qualquer pessoa fora da prisão sem o Evangelho. 



O Sr. Bi foi solto eventualmente e fundou diversos orfanatos no interior da China, cuidando dos pobres e guiando muitos a Cristo. Ele teve um futuro brilhante em Jesus Cristo. Até hoje, ao conhecê-lo, a sua alegria é contagiante e ele lhe dirá que a alegria que sentiu na prisão é a mesma que sente até hoje. 



Todo mundo tem esse sentimento de estar aprisionado – presas por pensamentos, hábitos, ações e um passado perturbador que não as deixa. 



O Evangelho nos ensina que a pior de todas as prisões é aquela que nos mesmos criamos. As celas dessa prisão são feitas de inseguranças, com um profundo entendimento de que algo não está certo em nosso interior, que algo está realmente quebrado. Carregamos isso como uma corrente ao redor dos nossos pescoços. É a condição humana. 



Isso só mudará se algo drástico acontecer. 



O Evangelho é a medida mais drástica de todas. É uma cruz sangrenta. É a morte do próprio Deus em nosso favor. É a derrota esmagadora da própria morte pela ressurreição gloriosa para revelar o amor e poder de Deus por toda a eternidade. 



As Escrituras nos lembram que devemos prestar atenção àquilo que temos ouvido, especialmente quando se trata do Evangelho (Hebreus 2:1). O sermão mais importante que você ira pregar é aquele que você prega para o seu próprio coração, relembrando-o diariamente de que: "Eu tenho um futuro brilhante em Jesus Cristo".