Aceitando Sua Identidade

Dia 2 de 5 • Leitura do dia

Devocional
Crise de Identidade



Jacó enfrentou uma crise de identidade. Durante anos, ele foi conhecido como o mais novo dos gêmeos que agarrou-se ao calcanhar do irmão para assumir o papel de primogênito. Sua mãe, Rebeca, o favoreceu sobre o irmão e procurou garantir uma bênção para ele, independentemente do custo. Ela passou os anos de formação de Jacó até a idade adulta tentando transformá-lo no homem que ela queria que ele fosse.



Por um longo tempo, Jacó viveu assim. Ele assumiu os mesmos desejos e forçou os limites em uma tentativa de ser alguém que não era. A identidade de Jacó estava amarrada à visão de sua mãe sobre ele e quem ela o forçou a ser.



Tudo isso mudou em Gênesis 27, quando Jacó roubou a bênção do irmão. Como resultado de sua decisão e traição, ele foge da única casa e família que conheceu. É aqui que Jacó deve ter começado a se preocupar com quem ele é. Ele carrega os rótulos que tem à nova vida ou faz a escolha de ser o homem que ele quer ser?





Deus conduz Jacó através de um teste difícil mas incrivelmente benéfico para ele descobrir quem realmente é e o que realmente quer fazer. Ele recebe tratamento de traição por parte de seu sogro semelhante ao que ele mesmo havia dado, o que, tenho certeza, foi um grande alerta para o tipo de pessoa que ele queria ser.



Jacó enfrentou uma crise de identidade na idade adulta e escolheu não mais aceitar os rótulos colocados nele, mas se tornar o homem que ele realmente era e aquele que Deus disse que deveria ser. Na verdade, ele lutou com Deus em sua nova identidade e surgiu uma pessoa diferente.





Jacó foi rotulado de "agarrador de calcanhar" quando nasceu, mas depois de lutar com Deus, seu nome mudou. O rótulo que o definiu por tanto tempo foi retirado e o que restou foi a verdadeira identidade e propósito – ser o pai de uma nação.



Ao ler isso, você iniciou sua própria jornada de identidade. Você continuará a viver a vida com os rótulos colocados em você ou vai escolher explorar e abraçar o eu verdadeiro?