Paralelo
38
Diálogo final
38.1—42.6
Primeira resposta do Senhor a Jó
38.1—40.2
1Depois disso, do meio da tempestade, o Senhor deu a Jó a seguinte resposta:
2“As suas palavras só mostram a sua ignorância;
quem é você para pôr em dúvida a minha sabedoria?
3Mostre agora que é valente
e responda às perguntas que lhe vou fazer.
Eu criei o mundo
4“Onde é que você estava quando criei o mundo?
Se você é tão inteligente, explique isso.
5Você sabe quem resolveu qual seria o tamanho do mundo
e quem foi que fez as medições?
6Em cima de que estão firmadas as colunas que sustentam a terra?
Quem foi que assentou a pedra principal do alicerce do mundo?
7Na manhã da criação, as estrelas cantavam em coro,
e os servidores celestiais soltavam gritos de alegria.
8“Quando o Mar jorrou do ventre da terra,
quem foi que fechou os portões para segurá-lo?
9Fui eu que cobri o Mar com as nuvens
e o envolvi com a escuridão.
10Marquei os seus limites
e fechei com trancas as suas portas.
11E eu lhe disse: ‘Você chegará até este ponto
e daqui não passará.
As suas altas ondas pararão aqui.’
De onde vêm a luz e a escuridão?
12“Jó, alguma vez na sua vida você ordenou que viesse a madrugada
e assim começasse um novo dia?
13Você alguma vez mandou que a luz se espalhasse sobre a terra,
sacudindo os perversos e os expulsando dos seus esconderijos?
14A luz do dia mostra as formas das montanhas e dos vales,
como se fossem as dobras de um vestido
ou as marcas de um sinete no barro.
15Essa luz é clara demais para os perversos
e os impede de praticar a violência.
16“Jó, você já visitou as nascentes do mar?
Já passeou pelo fundo do oceano?
17Alguém já lhe mostrou os portões do mundo dos mortos,
aquele mundo de escuridão sem fim?
18Você tem alguma ideia da largura da terra?
Responda, se é que você sabe tudo isso.
19“De onde vem a luz,
e qual é a origem da escuridão?
20Você sabe mostrar a elas até onde devem chegar
e depois fazer com que voltem outra vez ao ponto de partida?
21Sim, você deve saber, pois é bem idoso
e já havia nascido quando o mundo foi criado…
Quem faz a neve e as chuvas de pedra?
22“Você alguma vez visitou os depósitos
onde eu guardo a neve e as chuvas de pedra,
23que ficam reservadas para tempos de sofrimento
e para dias de lutas e de guerras?
24Você já esteve no lugar onde nasce o sol
ou no ponto onde começa a soprar o vento leste?
Quem faz a chuva, o orvalho, a geada e o gelo?
25“Quem foi que abriu um canal para deixar cair os aguaceiros
e marcou o caminho por onde a tempestade deve passar?
26Quem faz a chuva cair no deserto,
em lugares onde ninguém mora?
27Quem rega as terras secas e despovoadas,
fazendo nascer nelas o capim?
28Será que a chuva e o orvalho têm pai?
29E quem é a mãe do gelo e da geada,
30que faz com que as águas virem pedra
e que o mar fique coberto por uma camada de gelo?
Você conhece as leis que governam o céu?
31“Será que você pode amarrar com uma corda as estrelas das Sete-Cabrinhas
ou soltar as correntes que prendem as Três-Marias?
32Você pode fazer aparecer a estrela-d'alva,
ou guiar a Ursa Maior e a Ursa Menor?
33Você conhece as leis que governam o céu
e sabe como devem ser aplicadas na terra?
Quem pode derramar água em forma de chuva?
34“Será que a sua voz pode chegar até as nuvens
e mandar que caia tanta chuva, que você fique coberto por um dilúvio?
35Você pode fazer com que os raios apareçam
e venham dizer-lhe: ‘Estamos às suas ordens?’
36Quem deu sabedoria às aves,
como o íbis, que anuncia as enchentes do rio Nilo,
ou como o galo, que canta antes da chuva?
37Quem é capaz de contar as nuvens?
Quem pode derramar a sua água em forma de chuva,
38que faz o pó virar barro,
ligando os torrões uns aos outros?
Quem dá de comer aos animais e às aves?
39“Será que é você quem dá de comer às leoas
e mata a fome dos leõezinhos,
40quando estão escondidos nas suas covas
ou ficam de tocaia nas moitas?
41Quem é que alimenta os corvos,
quando andam de um lado para outro com fome,
quando os seus filhotes gritam a mim pedindo comida?