Paralelo
37
1A tempestade me faz bater o coração,
como se ele fosse pular para fora do peito.
2Escutem o estrondo da voz de Deus,
o trovão que sai da sua boca.
3Ele solta relâmpagos por todos os lados do céu
e de uma ponta da terra até a outra.
4Então ouve-se o rugido da sua voz,
o forte barulho do trovão;
e durante todo o tempo os relâmpagos não param de cair.
5Deus troveja com a sua voz maravilhosa;
ele faz grandes coisas que não podemos compreender.
6Deus manda que caia neve sobre a terra
e também fortes pancadas de chuva.
7Assim, faz com que as pessoas fiquem em casa, sem poderem trabalhar,
para que todos saibam que é ele quem age.
8Os animais entram nas suas tocas
e ali ficam escondidos.
9As tempestades violentas vêm do Sul,
e o frio vem do Norte.
10O sopro de Deus congela as águas,
que assim ficam cobertas de gelo.
11Deus enche de água as nuvens,
e elas lançam os relâmpagos.
12Seguindo a ordem de Deus,
as nuvens se espalham em todas as direções.
Elas fazem tudo o que Deus manda,
em toda parte, no mundo inteiro.
13Deus faz cair chuva sobre a terra
ou para castigar a gente
ou para mostrar que tem amor por nós.
O infinito conhecimento de Deus
14“Jó, pare um instante e escute;
pense nas coisas maravilhosas que Deus faz.
15Será que você sabe como Deus dá a ordem
para que os relâmpagos saiam brilhando das nuvens?
16Você sabe como as nuvens ficam suspensas no ar?
Isso é uma prova do infinito conhecimento de Deus.
17Será que você, que fica sufocado de calor na sua roupa,
antes de vir a tempestade de areia trazida pelo vento sul,
18será que você pode ajudar Deus a estender o céu
e fazer com que fique duro como uma placa de metal fundido?
19Ensine-nos o que devemos dizer a ele,
pois não somos capazes de pensar com clareza.
20Eu não teria o atrevimento de discutir com Deus,
pois isso seria pedir que ele me destruísse.
21“Não é possível ver o sol quando está escondido pelas nuvens;
mas ele brilha de novo, depois que o vento passa e limpa o céu.
22No Norte vemos uma luz dourada,
e a glória de Deus nos enche de profunda admiração.
23Não podemos compreender o Todo-Poderoso,
o Deus de grande poder.
A sua justiça é infinita,
e ele não persegue ninguém.
24Por isso, as pessoas o temem,
e ele não dá importância aos que acham que são sábios.”