12
Jesus é senhor do sábado
1Naquele tempo, em um sábado, passou Jesus pelas searas; e seus discípulos, tendo fome, começaram a colher espigas e a comer. 2Os fariseus, vendo isso, disseram-lhe: Teus discípulos estão fazendo o que não é lícito fazer nos sábados. 3Ele, porém, lhes disse: Não lestes o que fez Davi, quando ele e seus companheiros tiveram fome? 4Como entrou na Casa de Deus, e como eles comeram os pães da proposição, os quais não lhe era lícito comer, nem aos seus companheiros, mas somente aos sacerdotes? 5Ou não lestes na Lei que aos sábados os sacerdotes no templo violam o sábado e ficam sem culpa? 6Digo-vos, porém: Aqui está o que é maior que o templo. 7Mas, se vós tivésseis conhecido o que significa: Misericórdia quero e não holocaustos, não teríeis condenado os inocentes. 8Pois o Filho do Homem é senhor do sábado.
A cura de um homem que tinha seca uma das mãos. Trama contra a vida de Jesus
9Tendo Jesus partido daquele lugar, entrou na sinagoga deles. 10Achava-se ali um homem que tinha seca uma das mãos. Para poderem acusar a Jesus, perguntaram-lhe: É lícito curar nos sábados? 11Ele respondeu: Qual de vós, tendo uma ovelha, se ela, ao sábado, cair em uma cova, não lançará mão dela para tirá-la? 12Ora, quanto mais vale um homem que uma ovelha? Logo, é lícito fazer o bem nos sábados. 13Então, disse ao homem: Estende a mão. Ele a estendeu, e a mão ficou sã como a outra. 14Mas os fariseus saíram dali e tramaram o modo de tirar-lhe a vida.
Jesus retira-se
15Jesus, sabendo isso, retirou-se daquele lugar. Muitos o acompanharam; 16e ele curou a todos, advertindo-lhes que não o dessem a conhecer;
17para se cumprir o que foi dito, pelo profeta Isaías:
18Eis aqui o meu servo que escolhi,
o meu amado em quem a minha alma se agrada
Sobre ele porei o meu Espírito,
e ele anunciará o juízo aos gentios.
19Não contenderá, nem clamará,
nem ouvirá alguém a sua voz nas ruas.
20Não esmagará a cana quebrada,
nem apagará a torcida que fumega,
até que faça triunfar o juízo.
21Em seu nome, esperarão os gentios.
A cura de um endemoninhado, cego e mudo. A blasfêmia dos fariseus. Jesus defende-se
22Então lhe trouxeram um endemoninhado, cego e mudo; e ele o curou, de modo que o mudo falava e via. 23Toda a multidão, admirada, dizia: É este, porventura, o filho de Davi? 24Mas os fariseus, ouvindo isso, disseram: Este não expele os demônios senão por Belzebu, chefe dos demônios. 25Jesus, porém, conhecendo-lhes os pensamentos, disse: Todo reino dividido contra si mesmo será desolado, e toda cidade ou casa dividida contra si mesma não subsistirá. 26Se Satanás expele a Satanás, está dividido contra si mesmo; como, então, subsistirá o seu reino? 27Se eu expulso os demônios por Belzebu, por quem os expelem vossos filhos? Por isso, eles mesmos serão os vossos juízes. 28Mas, se pelo Espírito de Deus eu expulso os demônios, logo é chegado a vós o reino de Deus. 29Como pode alguém entrar na casa do valente e roubar-lhe os bens, sem primeiro amarrá-lo? E então lhe saqueará a casa. 30Quem não é comigo é contra mim; e quem comigo não ajunta espalha. 31Por isso, vos declaro: todo pecado e blasfêmia serão perdoados aos homens, mas a blasfêmia contra o Espírito não lhes será perdoada. 32Ao que disser alguma palavra contra o Filho do Homem, isso lhe será perdoado; porém ao que falar contra o Espírito Santo, não lhe será perdoado, nem neste mundo, nem no vindouro. 33Reconhecei que a árvore é boa, e o seu fruto, bom ou que a árvore é má, e o seu fruto, mau; porque pelo fruto se conhece a árvore. 34Raça de víboras, como podeis falar coisas boas, sendo maus? Porque a boca fala o de que está cheio o coração. 35O homem bom tira boas coisas do seu bom tesouro, e o homem mau tira más coisas do seu mau tesouro. 36Digo-vos que de toda palavra ociosa que falarem os homens, dela darão conta no dia de juízo; 37porque pelas tuas palavras serás justificado e pelas tuas palavras serás condenado.
Os escribas e fariseus pedem um sinal
38Então, alguns escribas e fariseus disseram: Mestre, queremos ver algum milagre feito por ti. 39Ele, porém, replicou: Uma geração má e adúltera pede um sinal; e nenhum sinal se lhe dará, senão o do profeta Jonas. 40Pois assim como Jonas esteve três dias e três noites no ventre do grande peixe, assim o Filho do Homem estará três dias e três noites no coração da terra. 41Os ninivitas se levantarão no juízo juntamente com esta geração e a condenarão, porque se arrependeram com a pregação de Jonas; e aqui está quem é maior do que Jonas. 42A rainha do Sul se levantará no juízo juntamente com esta geração e a condenará, porque veio dos confins da terra para ouvir a sabedoria de Salomão; e aqui está quem é maior do que Salomão. 43Mas, quando o espírito imundo tiver saído de um homem, anda por lugares áridos, buscando repouso, e não o acha. 44Então, diz: Voltarei para minha casa donde saí; e, ao chegar, acha-a desocupada, varrida e ornada. 45Depois, vai e leva consigo mais sete espíritos piores do que ele, e ali entram e habitam; e o último estado daquele homem fica sendo pior do que o primeiro. Assim também acontecerá a esta geração perversa.
A família de Jesus
46Enquanto ele ainda falava à multidão, achavam-se da parte de fora sua mãe e seus irmãos, procurando falar-lhe. 47Alguém lhe disse: Tua mãe e teus irmãos estão lá fora e procuram falar-te. 48Mas ele respondeu ao que lhe falava: Quem é minha mãe e quem são meus irmãos? 49Estendendo a mão para seus discípulos, exclamou: Eis minha mãe e meus irmãos! 50Pois aquele que fizer a vontade de meu Pai que está nos céus, esse é meu irmão, irmã e mãe.
Loading reference in secondary version...

1917, 2010 Sociedade Bíblica do Brasil. Todos os direitos reservados.