5
Nós mesmos causamos o sofrimento
1“Grite, Jó! Veja se alguém responde.
Que anjo você vai chamar?
2Ficar desgostoso e amargurado é loucura,
é falta de juízo, que leva à morte.
3Uma vez vi um homem sem juízo
que parecia estar progredindo na vida,
mas eu amaldiçoei a família dele.
4Os seus filhos não têm segurança;
nos tribunais são condenados injustamente,
e não há ninguém que os defenda.
5Os famintos ficam cobiçando as suas riquezas;
devoram as suas colheitas,
pegando até o trigo que nasce entre os espinhos.
6A aflição não brota da terra;
a desgraça não nasce do chão:
7somos nós mesmos que causamos o sofrimento,
tão certo como as faíscas das brasas voam para cima.
Deus dá esperança aos fracos
8“Jó, se eu fosse você, voltaria para Deus
e entregaria o meu problema a ele.
9Nós não podemos entender as coisas maravilhosas que ele faz,
e os seus milagres não têm fim.
10Deus dá chuva à terra;
ele faz a água cair sobre os campos.
11Deus põe os humildes nas alturas,
põe num lugar seguro os que choram.
12Deus faz com que os planos dos espertos falhem
e que as suas ações fracassem;
13ele pega os sábios nas suas espertezas
e acaba com as suas intrigas.
14Em pleno dia eles ficam no escuro
e ao meio-dia andam às cegas,
apalpando como se fosse noite.
15Deus salva da morte os pobres;
ele livra os necessitados das mãos dos poderosos.
16Deus dá esperança aos fracos
e tapa a boca dos maus.
As mãos de Deus curam
17“Feliz é aquele a quem Deus corrige!
Por isso, não despreze o castigo do Deus Todo-Poderoso.
18Deus fere, mas ele mesmo faz o curativo;
ele machuca, mas as suas mãos curam.
19Vez após vez Deus salvará você do perigo
e não deixará que nenhum mal lhe aconteça.
20Em tempo de fome, Deus não deixará que você morra
e em tempo de guerra ele o salvará da espada.
21Ele o protegerá das más línguas,
e você não terá medo quando houver destruição.
22Você se rirá quando houver violência e faltarem alimentos
e não terá medo dos animais selvagens.
23Nos seus campos as pedras não estorvarão o arado,
e os animais selvagens não o atacarão.
24Na sua casa você viverá em paz
e, quando contar as suas coisas,
não vai achar falta de nada.
25Você terá muitos filhos,
e os seus descendentes serão tantos como as folhas de capim no pasto.
26Você vai morrer velho e forte,
como um feixe de trigo colhido no tempo certo.
27Jó, a vida nos ensina que é assim.
Esta é a verdade; pense nisso para o seu próprio bem.”
Loading reference in secondary version...

2000 Sociedade Bíblica do Brasil. Todos os direitos reservados.