3
A oração de Habacuque
1Esta é uma oração do profeta Habacuque, feita em forma de hino.
2Ó Senhor, ouvi falar do que tens feito
e estou cheio de temor.
Faze agora, em nosso tempo,
as coisas maravilhosas que fizeste no passado,
para que nós também as vejamos.
Mesmo que estejas irado,
tem compaixão de nós!
3Deus vem vindo da terra de Edom,
o Santo Deus vem do monte Parã.
A sua glória cobre os céus,
e na terra todos o louvam.
4Ele brilha como a luz,
e raios de luz saltam da sua mão,
onde se esconde o seu poder.
5Na frente dele vão pragas terríveis,
e atrás vêm doenças mortais.
6Ele para, e a terra treme;
ele olha para as nações, e elas ficam com medo.
Os montes antigos se abalam,
caem as velhas montanhas
por onde ele tem andado desde a eternidade.
7Vi que os povos de Cuchã estão aflitos
e que os moradores de Midiã estão com medo.
8É contra os rios, ó Senhor, que estás irado?
É contra o mar que estás furioso?
É por isso que montas os teus cavalos
e vens vitorioso no teu carro de guerra?
9Pegas o teu arco
e te preparas para atirar as tuas flechas.
Tu cavas a terra com enchentes.
10As montanhas te viram e tremeram;
uma tromba-d’água caiu do céu.
As águas debaixo da terra rugiram;
as suas ondas imensas se levantaram.
11O sol e a lua deixaram de brilhar
quando viram o brilho das tuas flechas
e a luz brilhante da tua lança.
12Na tua ira, marchaste pela terra inteira,
na tua fúria, pisaste as nações.
13Saíste para salvar o teu povo,
para salvar o rei que escolheste.
Feriste o chefe dos maus
e acabaste completamente com o seu exército.
14Com as tuas flechas, mataste o comandante dos soldados
quando avançavam como uma tempestade para nos atacar;
eles vinham orgulhosos, querendo nos destruir
como quem mata um pobre em segredo.
15Montado nos teus cavalos marchaste pelo mar,
pelas ondas furiosas do mar.
16Quando ouvi tudo isso, fiquei assustado,
e os meus lábios tremeram de medo.
Perdi todas as forças
e não pude ficar de pé.
Portanto, vou esperar, tranquilo,
o dia em que Deus castigará
aqueles que nos atacam.
17Ainda que as figueiras não produzam frutas,
e as parreiras não deem uvas;
ainda que não haja azeitonas para apanhar
nem trigo para colher;
ainda que não haja mais ovelhas nos campos
nem gado nos currais,
18mesmo assim eu darei graças ao Senhor
e louvarei a Deus, o meu Salvador.
19O Senhor Deus é a minha força.
Ele torna o meu andar firme
como o de uma corça
e me leva para as montanhas,
onde estarei seguro.
Loading reference in secondary version...

2000 Sociedade Bíblica do Brasil. Todos os direitos reservados.