7
O casamento como exemplo
1Irmãos, todos vocês entendem a lei de Moisés e, com certeza, sabem que a lei governa a pessoa somente enquanto ela está viva.2Por exemplo, uma mulher deve se manter casada com o seu marido enquanto ele viver. Mas, se ele morrer, ela fica livre para casar com quem quiser.3Entretanto, se ela casar com outro homem enquanto o marido está vivo, a lei diz que ela é culpada de adultério. Mas, se o marido morrer, ela fica livre da lei do casamento e assim pode se casar de novo e não comete adultério.
4Da mesma maneira, meus irmãos, vocês morreram para a lei#lei A lei de Moisés, a lei judaica. através do corpo de Jesus Cristo. Agora vocês pertencem àquele que ressuscitou da morte. Nós pertencemos a Cristo, para que possamos ser úteis no serviço de Deus.5Porque quando vivíamos de acordo com nossa natureza humana, os nossos desejos pecadores foram despertados pela lei. Eles controlavam nossos corpos e assim nos levavam a morrer espiritualmente.6No passado, a lei nos mantinha como prisioneiros. Porém agora estamos livres da lei, pois morremos para ela. Nós não servimos mais a Deus pela maneira antiga, por meio da lei escrita. Agora nós servimos a Deus de maneira nova, por meio do Espírito#Espírito Também é chamado de “Espírito de Deus”, “Espírito de Cristo” e “Conselheiro”. Ele está unido com Deus e Cristo e realiza o trabalho de Deus entre as pessoas do mundo..
A nossa luta contra o pecado
7Não quero com isso dizer que a lei#lei A lei de Moisés, a lei judaica. e o pecado sejam a mesma coisa. Não, de maneira nenhuma. Mas a lei era a única maneira de eu vir a saber o que é o pecado. Por exemplo, eu nunca saberia do pecado que há em mim se a lei não dissesse: “Não cobice”#“Não cobice” 7.7 Citação de Êxodo 20.17; Deuteronômio 5.21..8Mas, por intermédio do mandamento, o pecado encontrou um jeito de criar em mim toda a espécie de cobiça. Mas, sem a lei, o pecado não tem poder.9Eu tinha vida sem a lei, antes de conhecer a lei. Mas, quando o mandamento veio, o pecado começou a viver10e eu morri espiritualmente. O mandamento era para dar vida, mas me trouxe somente a morte.11O pecado encontrou um jeito de me enganar por meio do mandamento. Ele usou o mandamento para me fazer morrer espiritualmente.
12A lei#lei A lei de Moisés, a lei judaica. é santa e o mandamento é santo, reto e bom.13Isto quer dizer que aquilo que é bom me conduziu à morte? De maneira nenhuma! O pecado é que usou o que é bom para me conduzir à morte, a fim de que eu pudesse ver como o pecado realmente é. E assim, por meio do mandamento, o pecado se mostrou ainda mais terrível.
O conflito no homem
14Nós sabemos que a lei#lei A lei de Moisés, a lei judaica. é espiritual, mas eu não sou espiritual. O pecado me controla como se eu fosse seu escravo.15Eu não entendo aquilo que faço, porque não faço as coisas boas que quero fazer. Ao contrário, faço as coisas más que odeio fazer.16Se faço as coisas más que não quero fazer, concordo que a lei é boa.17Mas não sou eu que, de fato, faço o mal. É o pecado que vive em mim que o faz.18Sim, eu sei que nada de bom vive em mim, isto é, naquela parte de mim que é humana e pecadora. Eu quero fazer o que é bom, mas não faço.19Eu não faço as coisas boas que quero fazer. Ao contrário, faço as coisas más que não quero fazer.20E, se faço as coisas más que não quero fazer, já não sou eu quem as faz, mas o pecado que vive em mim.
21Aprendi então esta regra: Quando quero fazer o bem, o mal está presente em mim.22No meu ser interior, estou de acordo com a lei de Deus.23Mas vejo outra lei trabalhando no meu corpo. Ela batalha contra a lei#lei A lei de Moisés, a lei judaica. que meu ser interior aprova. Essa outra lei que trabalha no meu corpo é a lei do pecado e ela me faz seu prisioneiro.24Que homem tão miserável que sou! Quem poderá me salvar deste corpo que me conduz para a morte?25Dou graças a Deus por meio de nosso Senhor Jesus Cristo.
Assim, em minha mente, sou escravo da lei de Deus, mas naquela parte de mim que é humana e pecadora, sou escravo da lei do pecado.
Loading reference in secondary version...