Roteiros de viagem pela Terra Santa: Lugares de adoração na Bíblia

Dia 1 de 7 • Leitura do dia

Devocional




O tabernáculo: um retrato de nossa redenção

O tabernáculo tinha barreiras que se erguiam entre o povo pecador e um Deus santo. Dentro do pátio, um altar de bronze se colocava onde ocorria a maioria dos sacrifícios diários. Logo depois do altar do holocausto ficava a bacia de bronze, onde os sacerdotes faziam a lavagem cerimonial em preparação para a entrega das ofertas. Entrar no lugar santo era algo que apenas os sacerdotes podiam fazer. Dentro, à direita, a mesa para o pão da presença, com seus doze pães, representava as doze tribos de Israel. O candelabro, à esquerda, trazia luz para aquele espaço, e o altar do incenso se colocava ao fundo, antes de uma pequena sala chamada lugar santíssimo, onde apenas o sumo sacerdote entrava uma vez por ano.

O capítulo 16 de Levítico descreve os eventos que aconteciam anualmente no Dia da Expiação. O sumo sacerdote oferecia um novilho no altar do holocausto pelo pecado dos sacerdotes. Em seguida, pegava um incensário com brasas do altar e entrava no lugar santo com incenso e o sangue do novilho. Depois de entrar atrás da cortina no lugar santíssimo — algo que só ele poderia fazer, uma vez por ano — ele aspergia o sangue do novilho e de um dos bodes em cima e em frente do lugar de expiação, a tampa da arca da aliança. Esses rituais tornavam o impossível possível. Por meio da purificação do santuário realizada por um homem, o Deus santo continuava a habitar entre o povo pecador.

O Novo Testamento revela o que esses rituais realmente representavam. Existe um Mediador entre Deus e a humanidade, o qual oferece o sangue de um substituto que morreu em favor de todos. Quando Jesus morreu, o véu do templo se rasgou em duas partes, de cima a baixo. O véu que separava Deus da humanidade foi removido pela morte de Jesus. Por causa de seu sacrifício, qualquer pessoa pode entrar na presença de Deus por meio da fé em Jesus (Hb 10.19-23).

Adaptado da Bíblia de Estudo Swindoll, publicado pela Editora Mundo Cristão.