Série Steps - Passo 04

Dia 1 de 7 • Leitura do dia

Devocional

Jesus, amigo ou inimigo?


Você já esteve em uma situação em que você sentia que alguém não gostava de você? Talvez já tenha se sentido assim com um chefe. Não parece que você está desconectado de tudo? Você pensa: “Será que eu fiz alguma coisa?” Ou, então, você está andando na rua e uma pessoa fica encarando-o de forma estranha, o que o leva a pensar: “Tem alguma coisa presa em mim”? Talvez você seja daqueles que, simplesmente, vive sua vida e não se preocupa com o que outros pensam sobre você. Mas se formos honestos, a maioria de nós vive pensando: “O que os outros pensam de mim? São pensamentos amigos ou ofensivos”?


Da mesma maneira que perguntamos a respeito um do outro, pensamos a respeito de Deus. “Será que Jesus, ao menos, me vê?”,” Será que Ele gosta de mim?”, “Ele se importa comigo?”, “Ele está me ignorando, está bravo comigo”? “Ele é por mim ou é contra mim”? Neste capítulo, nós mergulharemos na Bíblia e descobriremos como Jesus nos vê, como Ele vê aqueles que cometeram erros, aqueles que o buscam, aqueles que estão sozinhos, aqueles que precisam de uma segunda chance.


Como Ele nos vê?


O coletor de impostos


A Bíblia relata o encontro de Jesus com um homem chamado Zaqueu. É um encontro muito interessante e mostra muito como Jesus gostaria que fosse a nossa conexão com Ele. Jesus estava chegando a Jericó, cidade nos arredores de Jerusalém. Naqueles dias, na cidade de Jerusalém, a atividade ou o trabalho era no templo, que era, além do centro religioso, um grande centro econômico para a região. Muitos dos trabalhadores do templo viviam na cidade de Jericó, e historiadores estimam que o número de trabalhadores que viviam em Jericó chegava perto de doze mil. Num contexto geral, esta era a cidade.


Vemos, então, o que Jesus fala em Lucas 19: “Jesus entrou em Jericó e atravessava a cidade. Havia ali um homem rico chamado Zaqueu, chefe dos publicanos” (Lucas 19:1,2). Zaqueu trabalhava para o império romano, era um coletor de impostos. A região de Jerusalém era controlada pelos romanos, na época. Zaqueu era o principal coletor de impostos da área de Jericó e, por isso, era muito rico. Esse homem queria algo muito importante, algo que eu e você devemos desejar.


A fome de Zaqueu de conhecer quem era Jesus era tão grande que não havia obstáculos ou desculpas que o impedissem. Não podendo ver, pelo fato de ser de pequena estatura, ele subiu na árvore, e algo maravilhoso acontece a seguir.


Quando Jesus chegou àquele lugar, olhou para cima e lhe disse: Zaqueu, desça depressa. Quero ficar em sua casa hoje” (Lucas 19:5).


Atenção para os detalhes: Jesus o chama pelo nome. Eles ainda não haviam sido apresentados um ao outro, ao menos a Bíblia não nos conta isso. Mas Jesus o chama pelo nome.


Agora, algo muito além da expectativa de Zaqueu acontece. Para ele, naquele momento, ver Jesus já seria suficiente, e, então, Jesus faz mais, Ele se convida para um jantar na casa de Zaqueu, que desce, prontamente, como descrito em Lucas 19.


Aqui, nossa história muda um pouco, pois isso tudo aconteceu na frente de todos, e tal fato gerou muita reclamação por parte do povo. Afinal, Jesus estava indo jantar na casa daquele que era o homem mais rico da cidade, aquele que coletava impostos para Roma.


Se eu lhe der resposta curta sobre o que Jesus pensa sobre você, se Ele é amigo ou inimigo, eu posso dizer que, se você é um pecador, Ele é amigo do pecador.