Paralelo
8
Primeira fala de Bildade
Cap. 8
Volte para Deus
1Então Bildade, da região de Sua, em resposta disse:
2“Até quando você, Jó, vai falar assim?
Até quando as suas palavras serão como um vento forte?
3Será que Deus torceria a justiça?
Será que o Todo-Poderoso faria o que não é direito?
4Decerto os seus filhos pecaram contra Deus,
e ele os castigou como mereciam.
5Agora volte para Deus
e ore ao Todo-Poderoso.
6Se você é mesmo puro e honesto,
Deus virá logo ajudá-lo
e lhe dará de novo o lar que você merece.
7A riqueza que você perdeu não será nada
comparada com o que Deus lhe dará depois.
Dá em nada a esperança dos maus
8“Faça perguntas aos nossos antepassados;
aprenda com a experiência deles.
9Pois nós nascemos ontem e não sabemos nada;
os nossos dias na terra passam como a sombra.
10Deixe que os nossos antepassados falem a você e o ensinem.
Da sua experiência eles dirão isto:
11‘Será que a taboa pode crescer fora do brejo
ou o junco viver sem água?
12Verdes ainda e mesmo sem serem cortados,
eles secam antes das outras ervas.
13Assim acontece com os que esquecem de Deus;
assim dá em nada a esperança dos maus.
14A segurança deles é um fio de linha;
a sua confiança é como uma teia de aranha.
15Eles se apoiam na teia, mas ela não aguenta;
agarram o fio, mas não conseguem ficar de pé.’
16“Os maus crescem como ervas ao sol
que se espalham pelo jardim.
17As suas raízes se enroscam nas pedras,
se agarram nas rochas,
18mas, se alguém as arranca,
ninguém vai nem saber que estiveram naquele lugar.
19É nisso que dá a vida alegre dos maus;
chegam outras pessoas e tomam o lugar deles.
20“Esteja certo de que Deus não abandona as pessoas honestas,
nem dá a mão para ajudar os maus.
21Ele fará você rir de novo
e dar gritos de alegria;
22mas os seus inimigos vão viver na confusão,
e as casas dos maus serão destruídas.”