O Curso do Casamento

Dia 1 de 5 • Leitura do dia

Devocional

Comunicação


Uma boa comunicação é um componente vital para um casamento saudável. Só quando nos casamos, entendemos que algumas de nossas mais profundas suposições sobre a vida não são de consenso universal.



Todos nós temos formas diferentes de nos comunicar, e isso é afetado por:




  • nossa personalidade

  • nosso contexto


1.Nossa personalidade



Extrovertida

Um dos dois pode tender a processar os pensamentos externamente. Em outras palavras, tendemos a pensar alto.



Introvertida

Nosso(a) parceiro(a) pode tender a organizar os pensamentos na cabeça primeiro para depois falar.



Analítica

Um dos dois pode trabalhar de maneira metódica e levar um longo tempo para tomar decisões.



Intuitiva

Nosso(a) parceiro(a) pode agir frequentemente com base em suas intuições e, às vezes, tirar suas conclusões a partir delas.



Conversar honestamente sobre e aceitar essas diferenças de personalidade é essencial se queremos ter um casamento forte.



2. Nosso contexto familiar



Algumas famílias são quietas, outras são super barulhentas. Algumas famílias são mais voláteis, outras são mais calmas. Algumas revezam para falar, outras interrompem frequentemente.



Precisamos reconhecer que tipo de comunicação usamos em cada família, especialmente se um de nós vem de uma família que aborda imediatamente suas diferenças enquanto a família do(a) parceiro(a) tende a adiar ou evitar tocar em assuntos que envolvem perspectivas diferentes.



Barreiras para uma boa comunicação


1. Falhar na disponibilidade



Separem um tempo regularmente para conversas significativas.




  • planejem esse tempo em suas agendas (isso não acontece espontaneamente)

  • guarde esse tempo de distrações e interrupções, especialmente dos celulares e outras telas.


Reconheça quando você precisa parar tudo para ouvir seu parceiro(a).



2. Falhar em falar sobre os nossos sentimentos



Algumas pessoas precisam aprender a falar sobre seus sentimentos, pois podem não ter tido alguém que os ensinasse sobre isso ao longo da vida.




  • pode ser que você ache difícil falar sobre os seus sentimentos por sentir como se fosse algo inadequado, que te deixaria vulnerável, ou por medo de como a outra pessoa irá responder.

  • tenha coragem de confiar seus sentimentos ao seu(sua) parceiro(a).

  • se o seu(sua) parceiro(a) tem dificuldades pra expressar como se sente, certifique-se de escutá-lo sempre, sem julgá-lo ou criticá-lo.


Compartilhar nossos pensamentos e sentimentos mais íntimos é essencial para construir um casamento forte.



3. Falhar em ouvir um ao outro



Ouvir tem uma enorme importância para construir uma base sólida de entendimento e intimidade no casamento.



Não ser ouvido causa um grande dano ao relacionamento. Mas quando alguém nos ouve, nos sentimos:




  • compreendidos

  • valorizados

  • apoiados

  • amados


Neste sentido, a maioria de nós tem maus hábitos que precisam ser superados, tais como:




  • se distrair mentalmente quando nosso(a) parceiro(a) está falando conosco

  • sair pela tangente com a nossa própria história

  • aconselhar imediatamente nosso parceiro antes mesmo de ter empatia pelos seus sentimentos

  • invalidar seus medos ou suas expressões de emoções negativas ao afirmar constantemente que vai ficar tudo bem

  • interromper nosso(a) parceiro(a) com nossas próprias visões e terminar as frases deles


Como ouvir


Aprender a ouvir efetivamente demanda paciência. Ouvir efetivamente significa:




  • permitir que nosso(a) parceiro(a) termine de falar o que ele(a) quer dizer

  • deixar de lado nossas próprias conclusões e buscar ver o mundo através dos olhos dele(a)

  • fazer o esforço de entendê-lo(a) quando ele(a) tiver um pensamento ou sentimento diferente do seu