O servo adorador e o Espírito Santo

Devocional

Quando o instrumento musical é guardado no estojo, a maquiagem é tirada, os figurinos voltam para os cabides, as sapatilhas são limpas, os cenários são desmontados e não há uma plateia nos olhando, quem somos? Somos cristãos. Carecemos de algo muito mais profundo do que a experiência performática pode nos oferecer. Precisamos do Espírito Santo em nossas vidas, e quando há essa consciência, o talento recebido de Deus transforma-se em três produtos: louvor que o glorifica, ministério que edifica a Igreja e arte que embeleza o mundo a ponto de fazê-lo voltar os olhos ao seu criador.


Essas coisas, no entanto, só são alcançadas através de servos adoradores cheios do Espírito Santo! Nós o buscamos para nos fortalecer na fé (At. 14.22), guiar em toda a verdade (Jo. 16.13), receber Dele o poder (At. 1.8), consolação e conselho (Jo. 14.26). É Dele que temos dons (1Co. 12.4), a sabedoria para viver (1Co. 12.8), testemunhar e anunciar o Reino de Deus (2Co. 3.4-6). O Espírito Santo não é uma energia, ele é uma pessoa com quem podemos nos relacionar e em quem podemos confiar e nos fortalecer na fé. Pelo Seu poder continuamos a ser cristãos – testemunhas de Cristo na Terra – em todo o momento, sobretudo quando estamos fora do palco, e podemos ver como resultado o fruto do Espírito (Gl. 5.22-26).


Em hebraico, uma mesma palavra define “Espírito” e “sopro”. Esse significado está presente na Criação, quando Deus soprou nas narinas do ser humano a vida. Podemos dizer, então, que há intimidade entre a nossa respiração e o Espírito de Deus. A presença do Espírito Santo sopra vida em nossas vidas, faz-nos respirar e nos inspira. Que seja assim a cada dia!