MEDITAÇÕES SOBRE O EVANGELHO SEGUNDO LUCAS PARA A FAMÍLIA

Devocional
REFLEXÃO 5 "O batismo de Jesus e sua tentação":
Quando lemos o Evangelho e os Atos de Lucas, descobrimos uma característica peculiar: a importância conferida por ele ao Espírito Santo. É curioso observar que a expressão “Espírito Santo” aparece 54 vezes nos dois livros de Lucas, enquanto no resto do Novo Testamento ela surge em apenas 25 ocasiões. Nos três eventos sobre os quais refletiremos hoje, encontraremos o Espírito Santo como a força que preenche Jesus e o impulsiona a agir nos momentos fundamentais de sua vida. Com efeito, ele foi concebido pelo Espírito Santo (1:35), e seu primeiro ministério público e solene em Nazaré começa com o anúncio: “O Espírito do Senhor está sobre mim...” (4:18).
No caso do batismo, é importante ressaltar como Jesus compartilha nossa condição humana, inclusive em sua atitude de juntar-se ao grupo de pecadores que se sujeita aos rituais de penitência e purificação de João. Nesse momento, a aparição do Espírito Santo em forma corpórea e a voz misteriosa do céu proclamam Jesus como o “Filho amado” [de Deus], e estabelecem o papel que ele irá desempenhar em suas atividades futuras. Essa expressão será crucial para compreender suas tentações.
Mais uma vez, é o Espírito quem conduz Jesus para o deserto. Ele o faz não apenas para um período de jejum e oração, de modo a preparar-se para seu ministério, mas também para estar sujeito às tentações – ou seja, vivenciar os caminhos falsos e sedutores pelos quais ele poderá cumprir sua missão. A chave, conforme eu já disse, está na frase “Se és o Filho de Deus...” Essas palavras causarão um impacto terrível nos momentos mais extremos da vida de Jesus, inclusive na crucificação: “salve-se a si mesmo” (23:35-37). O demônio é mais sutil, e oferece possibilidades tentadoras de ser o Messias: usar o poder para transformar as pedras em pão, para benefício próprio; recorrer ao poder político ou econômico (no final das contas, o poder de Satanás) para instituir o Reino de Deus; ou reduzir sua missão a uma demonstração de prestígio e exaltação pessoais. Nesses três casos, Lucas prevê as mesmas tentações que a comunidade cristã enfrentará ao longo da história. E, nesses três casos, a única arma usada por Jesus é a Palavra de Deus.
Finalmente, é o Espírito que conduz Jesus a iniciar seu ministério e anunciar que o Reino de Deus chegou ao seu povo.