Estresse

Devocional

O Estresse


Desde o nascimento lidamos com o stress. Dependendo do clima e envolvimento emocional dos pais, a gestação e o parto podem ser um evento estressante e traumático tanto para a mãe quanto para o bebê. Este sai da proteção uterina, e para a passa a ter que buscar o ar usando seus pulmões, dependente do outro para satisfazer suas necessidades vitais. 


Os pais agora podem ver seus filhos, que logo choram pelo seio, por estarem sujos, por causa da cólica ou pela satisfação do colo.   Enquanto os pais tentam conciliar casamento, sexo, mamadeiras, creches, vida profissional e pessoal, as crianças crescem, e precisam encarar desafios do meio, estudar muito, se adaptar a rotina da casa, e enfrentar os pares –  isto significa ter apelidos, sofrer bullying, chorar, e se decepcionar com os "melhores amigos”.


A vida adulta traz a independência emocional e financeira, buscada com muito trabalho e afinco, mas que nos cobra disciplina e habilidades emocionais e intelectuais. Concomitantemente, ainda vivenciamos nossos dramas pessoais, superamos nossos limites e somos afetados pelas graças e desgraças de quem amamos. Isto em mencionar crises financeiras, políticas, e a progressão da violência. 


Todas estas fases não são fáceis de serem vividas. Elas geram cansaço físico e mental, e muitas atribuições e preocupações, nos conduzindo ao estresse. 


O estresse não escolhe vítimas. Ele ataca a todos nós – o problema é saber como combatê-lo. A princípio, precisamos aprender a evitar seus extremos e a repensar o modo como reagimos a ele, pois podemos nos tornar iracundos, amargurados e mau humorados.


Pergunte a si mesmo: Você se considera uma pessoa muito estressada?