Paralelo
21
Resposta de Jó
Cap. 21
Não me queixo de nenhum ser humano
1Então em resposta Jó disse:
2“O melhor consolo que vocês me podem dar
é escutar com atenção as minhas palavras.
3Tenham paciência enquanto falo;
depois que eu terminar, vocês podem zombar de mim.
4Não é de nenhum ser humano que me queixo
e é por isso que estou tão impaciente.
5Se vocês olharem para mim,
porão a mão na boca, assustados.
6Quando penso no que aconteceu, fico perturbado,
e o meu corpo todo treme.
Os maus cantam e se divertem
7“Por que será que os maus continuam vivos?
Por que chegam ricos à velhice?
8Eles têm filhos e netos
e vivem para vê-los bem-crescidos ao seu redor.
9Nada ameaça a segurança dos seus lares,
e Deus não os castiga.
10O seu gado se reproduz sem problemas,
dando crias sem nunca abortar.
11Os seus filhos correm como carneirinhos
e pulam de alegria;
12eles cantam e se divertem ao som de pandeiros, liras e flautas.
13Os maus têm sempre do bom e do melhor
e morrem em paz, sem sofrimento.
14“No entanto, a Deus eles dizem:
‘Deixa-nos em paz;
não queremos saber das tuas leis.
15Quem é o Deus Todo-Poderoso para que o adoremos?
Que adianta fazer orações a ele?’
16Os maus dizem que progridem pelos seus próprios esforços,
mas eu não aceito o seu modo de pensar.
Que o pecador receba castigo
17“Quando foi que se apagou a luz dos perversos?
Quantas vezes algum deles caiu na desgraça?
Será que Deus alguma vez ficou irado com eles e os fez sofrer?
18Quando foi que ele os espalhou como a palha
ou como a poeira que é levada pela ventania?
19“Vocês dizem que Deus castiga o filho
pelos pecados do pai.
Mas é o pai que deveria ser castigado
para que aprendesse a lição.
20Que o pecador receba o seu próprio castigo,
que ele sinta o peso da ira do Todo-Poderoso!
21Mas, se ele já está morto,
se já está no outro mundo,
que lhe importa que a sua família sofra?
22Por acaso, alguém pode dar lições ao Todo-Poderoso,
que julga até os seres celestiais?
23“Alguns homens levam uma vida feliz e tranquila
e morrem ricos,
24com saúde e cheios de força.
25Outros, ao contrário, nunca provaram um momento de felicidade
e morrem com o coração cheio de amargura.
26Mas uns e outros acabam morrendo,
são sepultados e ficam cobertos de vermes.
Meus amigos, as suas consolações são vazias
27“Eu conheço os pensamentos de vocês
e sei que pensam mal de mim.
28Vocês perguntam:
‘Onde está agora a casa daquele grande homem
que vivia uma vida de pecado?’
29“Será que vocês não têm conversado com pessoas que viajam?
Vocês não têm ouvido as suas histórias?
30Essas pessoas dizem que, quando Deus fica irado e castiga,
o homem mau sempre escapa.
31Ninguém o acusa das maldades que comete;
ninguém o faz pagar pelos seus atos.
32Ele é levado para o cemitério
e posto numa sepultura bem-guardada.
33Milhares de pessoas acompanham o corpo,
e até a terra que o cobre é leve.
34“Meus amigos, as suas consolações são vazias;
tudo o que vocês dizem é mentira.”