Paralelo
18
Segunda fala de Bildade
Cap. 18
Cale-se, Jó, e preste atenção
1Então Bildade, da região de Sua, em resposta disse:
2“Jó, por que você não para de falar?
Cale-se e preste atenção, e então poderemos conversar.
3Por que você pensa que não temos juízo,
que somos como os animais?
4Com a sua raiva, você só está se ferindo.
Será que, por você estar zangado, o mundo vai virar um deserto?
Será que, por sua causa, as montanhas vão mudar de lugar?
O fim dos maus
5“A vida do perverso se acabará como a luz que se apaga,
como as chamas do fogo que deixa de queimar.
6A lamparina da sua casa não brilhará mais;
em vez de luz, haverá escuridão.
7O perverso andava com passos firmes, mas agora está tropeçando;
os seus próprios planos o fazem cair.
8Ele pisa uma rede,
e os seus pés ficam presos.
9A armadilha o pega pelo calcanhar,
e o laço o aperta.
10A armadilha estava escondida no chão,
no caminho por onde ele ia passar.
11Ameaças de todos os lados o deixam apavorado;
elas o perseguem a cada passo.
12Ele era rico, mas agora passa fome;
a desgraça está pronta para cair em cima dele.
13Uma doença mortal se espalha pelo seu corpo
e faz com que os seus braços e pernas apodreçam.
14Ele é arrancado da sua casa, onde vivia seguro,
e arrastado até a presença do Rei, isto é, a Morte.
15Essa casa será desinfetada com enxofre,
e depois um estranho vai morar nela.
16O perverso é como uma árvore seca,
seca desde as raízes até os galhos mais altos.
17Ninguém lembrará mais dele;
o seu nome será esquecido na sua terra.
18Ele será expulso do mundo dos vivos
e da luz será jogado na escuridão.
19Não deixará filhos nem netos;
não terá descendentes que fiquem com a sua casa.
20Em toda parte, os que ouvirem falar do seu fim
tremerão de medo e pavor.
21É esse o fim dos maus,
daqueles que não querem saber de Deus.”