3
O castigo de Jerusalém e das nações
1Ai da que é rebelde e contaminada, da cidade opressora! 2Ela não obedeceu à voz, não aceitou a correção, não confiou em Jeová, não se aproximou do seu Deus. 3Os seus príncipes no meio dela são leões rugidores, e os seus juízes, lobos da tarde; nada deixam até o dia seguinte. 4Os seus profetas são levianos, homens traiçoeiros; os seus sacerdotes têm profanado o santuário, têm violado a lei. 5Jeová no meio dela é justo; ele não fará iniquidade; de manhã em manhã, traz ele à luz o seu juízo; não falha; o injusto, porém, não conhece a vergonha. 6Tenho exterminado nações, os seus baluartes estão desolados; tenho tornado desertas as suas ruas, de sorte que ninguém passe por elas; as suas cidades estão destruídas, de sorte que não fique ninguém e não haja quem as habite. 7Eu disse: Certamente, me temerás, aceitarás a correção; assim, não seria exterminada a tua habitação, segundo tudo o que tenho ordenado a respeito de ti. Eles, porém, se levantaram cedo e corromperam todos os seus feitos.
8Portanto, espera-me, diz Jeová, até o dia em que eu me levantar para o despojo; porque o meu intento é congregar as nações, para que reúna os reinos, a fim de derramar sobre eles a minha indignação, todo o furor da minha ira; pois toda a terra será devorada pelo fogo do meu zelo.
Restauração e segurança de Israel
9Nesse tempo, darei aos povos uma língua pura, para que todos invoquem o nome de Jeová, a fim de o servirem de um só acordo. 10Dalém dos rios da Etiópia, os que me suplicam, a saber, a filha dos meus dispersos, trarão a minha oferta. 11Naquele dia, serás envergonhado por causa de todos os teus feitos, nos quais tens transgredido contra mim; porque então tirarei do meio de ti os que exultam na tua majestade, e nunca mais te ensoberbecerás no meu santo monte. 12Deixarei no meio de ti um povo pobre e necessitado, e eles confiarão em o nome de Jeová. 13O resto de Israel não fará iniquidade, nem falará mentiras; não se achará na boca deles língua enganosa. Pois pastarão e se deitarão, e não haverá quem os espante.
14Canta, filha de Sião, exulta Israel; alegra-te e regozija-te de todo o teu coração, filha de Jerusalém. 15Jeová tem tirado os teus juízos, tem lançado fora o teu inimigo; o Rei de Israel, isto é, Jeová, está no meio de ti; não temerás daqui em diante mal algum. 16Naquele dia, se dirá a Jerusalém: Não tenhas medo; não se enfraqueçam as tuas mãos, ó Sião. 17Jeová teu Deus está no meio de ti; o poderoso que salvará, se regozijará em ti com alegria, descansará no seu amor, exultará sobre ti com júbilo. 18Congregarei os que em tristeza suspiram pela assembleia solene, os quais te pertenciam e para quem era um opróbrio o peso que estava sobre ti. 19Eis que, nesse tempo, tratarei de todos os que te afligirem; salvarei a que coxeia, e recolherei a que estava expulsa, e farei deles um louvor e um nome em toda a terra em que tem sido envergonhados. 20Naquele tempo, vos farei voltar, naquele tempo, vos ajuntarei; porque farei de vós um nome e um louvor entre todos os povos da terra, quando eu fizer voltar o vosso cativeiro diante dos vossos olhos, diz Jeová.
Loading reference in secondary version...

1917, 2010 Sociedade Bíblica do Brasil. Todos os direitos reservados.