1
Prefácio e saudação
1Judas, servo de Jesus Cristo e irmão de Tiago, aos eleitos, que são amados em Deus Pai e guardados para Jesus Cristo, 2misericórdia, paz e caridade vos sejam multiplicadas.
Judas exorta a pelejar pela fé
3Amados, enquanto eu empregava toda a diligência para vos escrever sobre a nossa comum salvação, vi-me obrigado a dirigir-vos esta carta, exortando-vos a pelejar pela fé uma vez para sempre confiada aos santos. 4Pois certos homens se introduziram furtivamente (ímpios, cuja sentença há muito tempo está lavrada), os quais transformam a graça de nosso Deus em dissolução e negam a nosso único Mestre e Senhor, Jesus Cristo.
Antigos exemplos de retribuição pela desobediência. Admoestação contra os ímpios e falsos mestres
5Ora, eu vos quero lembrar (se bem que sabeis tudo uma vez para sempre) que o Senhor, tendo libertado a um povo, tirando-o da terra do Egito, destruiu, em seguida, aqueles que não creram; 6que os anjos que não guardaram o seu principado, mas abandonaram o seu próprio domicílio, ele os tem reservado, com cadeias eternas em trevas, para o juízo do grande Dia; 7assim Sodoma, Gomorra e as cidades vizinhas, tendo-se prostituído, como aqueles de que acabo de falar, e seguindo após outra carne, foram postas como exemplo, sofrendo a pena do fogo eterno. 8Contudo, da mesma maneira também estes, sonhando, não somente contaminam o seu corpo, como também desprezam a dominação e maldizem as dignidades. 9Mas, quando Miguel, o arcanjo, discutindo com o Diabo, altercava sobre o corpo de Moisés, não ousou fulminar-lhe sentença de blasfemo, mas disse: O Senhor te repreenda. 10Estes, porém, na verdade, maldizem tudo o que ignoram e se perdem em todas aquelas coisas que compreendem naturalmente, como animais sem razão. 11Ai deles! Porque entraram no caminho de Caim, e, por amor do lucro, se atiraram ao erro de Balaão, e pereceram na revolta de Coré. 12Estes são os cachopos em vossos ágapes, quando banqueteiam convosco sem medo; pastores que se apascentam a si mesmos; nuvens sem água, levadas pelos ventos; árvores do outono, sem fruto, duas vezes mortas, desarraigadas; 13ondas furiosas do mar, espumando as suas próprias torpezas; estrelas errantes, para as quais tem sido reservado o negrume das trevas para sempre. 14A estes também é que profetizou Enoque, o sétimo depois de Adão, quando disse: Eis que o Senhor veio, com miríades de seus santos, 15a executar juízo sobre todos e a convencer a todos os ímpios de todas as obras ímpias que impiamente cometeram e de todas as palavras duras que pecadores ímpios pronunciaram contra ele. 16Estes são murmuradores, queixosos, andando segundo as suas cobiças; a sua boca fala de coisas soberbas, mostrando admiração a pessoas por causa de interesse.
A profecia dos apóstolos. Exortações
17Vós, porém, amados, lembrai-vos das palavras que foram preditas pelos apóstolos de nosso Senhor Jesus Cristo, 18os quais vos diziam que, nos últimos tempos, viriam zombadores, andando segundo as suas ímpias cobiças. 19Estes são os homens que causam divisões, sensuais, que não têm o Espírito. 20Mas vós, amados, edificando-vos sobre a vossa santíssima fé e orando no Espírito Santo, 21guardai-vos no amor de Deus, esperando a misericórdia de nosso Senhor Jesus Cristo, para a vida eterna. 22Tende misericórdia de alguns que estão na dúvida 23e salvai-os, arrebatando-os do fogo; de outros, tende misericórdia com temor, aborrecendo até a túnica manchada pela carne.
A doxologia
24Àquele que vos pode guardar de tropeçardes e vos apresentar diante da sua glória sem defeito, em grande gozo, 25ao único Deus, nosso Salvador, por Jesus Cristo, nosso Senhor, seja glória, majestade, domínio e poder, antes de toda a eternidade, e agora, e por todos os séculos. Amém.
Loading reference in secondary version...

1917, 2010 Sociedade Bíblica do Brasil. Todos os direitos reservados.