8
1Saulo consentia na sua morte.
A primeira perseguição da igreja
Naquele dia, levantou-se uma grande perseguição contra a igreja em Jerusalém; e todos, exceto os apóstolos, foram dispersos pelas regiões da Judeia e Samaria. 2Homens piedosos sepultaram a Estêvão e fizeram grande pranto sobre ele. 3Mas Saulo assolava a igreja, entrando pelas casas; e, arrastando homens e mulheres, os entregava à prisão.
Filipe prega em Samaria
4Os que, porém, haviam sido dispersos iam por toda parte pregando a palavra. 5Filipe, descendo à cidade de Samaria, proclamava-lhes Cristo. 6A multidão, unânime, estava atenta às coisas que Filipe lhe dizia, ouvindo-o e vendo os milagres que estava fazendo. 7Pois os espíritos imundos de muitos possessos saíam, clamando em alta voz; e muitos paralíticos e coxos foram curados. 8E houve muito regozijo naquela cidade.
Simão, o mago
9Havia ali, desde algum tempo, um homem chamado Simão, que praticara a mágica e fizera pasmar o povo de Samaria, dizendo ser ele um grande homem; 10e a ele atendiam todos, desde os pequenos até os grandes, dizendo: Este homem é o poder de Deus, que se chama Grande. 11Eles o atendiam, porque, com as suas mágicas, por muito tempo, os tinha feito pasmar. 12Mas, quando creram em Filipe, que lhes pregava acerca do reino de Deus e do nome de Jesus Cristo, faziam-se batizar homens e mulheres. 13O mesmo Simão também creu, e, depois de batizado, estava continuamente com Filipe, e admirava-se, vendo os milagres e grandes prodígios que se faziam.
Pedro e João em Samaria
14Os apóstolos que se achavam em Jerusalém, tendo ouvido que a Samaria recebera a palavra de Deus, enviaram-lhe a Pedro e a João; 15os quais foram para lá e oraram por eles, para que recebessem o Espírito Santo; 16porque sobre nenhum deles havia ainda ele descido, mas somente tinham sido batizados em nome do Senhor Jesus. 17Então, sendo-lhes impostas as mãos de Pedro e João, recebiam o Espírito Santo. 18Quando Simão viu que, pela imposição das mãos dos apóstolos, se dava o Espírito, ofereceu-lhes dinheiro, 19dizendo: Dai-me também este poder, que aquele sobre quem eu impuser as mãos receba o Espírito Santo. 20Mas Pedro disse-lhe: Pereça contigo o teu dinheiro, pois julgaste adquirir por meio dele o dom de Deus. 21Tu não tens parte, nem sorte neste ministério; porque o teu coração não é reto diante de Deus. 22Arrepende-te, portanto, dessa tua maldade e roga ao Senhor que, se é possível, te seja perdoado esse pensamento do teu coração; 23pois vejo que estás em um fel de amargura e nos laços de iniquidade. 24Disse Simão: Rogai vós ao Senhor por mim, para que nada do que haveis dito venha sobre mim.
25Eles, pois, havendo testificado e falado a palavra do Senhor, voltaram para Jerusalém e evangelizavam muitas aldeias dos samaritanos.
Filipe e o eunuco
26Um anjo do Senhor falou a Filipe, dizendo: Levanta-te e vai em direção do Sul, ao caminho que desce de Jerusalém a Gaza; este se acha deserto. Ele, levantando-se, partiu. 27Eis que um homem da Etiópia, eunuco, alto funcionário de Candace, rainha dos etíopes, o qual era superintendente de todos os seus tesouros, viera a Jerusalém fazer a sua adoração; 28regressava e, sentado no seu carro, lia o profeta Isaías. 29Disse o Espírito a Filipe: Aproxima-te e ajunta-te a este carro. 30Correndo Filipe, ouviu-o ler o profeta Isaías, e perguntou: Entendes, porventura, o que estás lendo? 31Ele respondeu: Pois como poderei entender, se alguém não mo explicar? Pediu a Filipe que subisse e se assentasse com ele. 32A passagem da Escritura que estava lendo era esta:
Como ovelha, foi levado ao matadouro;
e, como um cordeiro, está mudo diante do que o tosquia
Assim, ele não abre a sua boca.
33Na sua humilhação, foi tirado o seu julgamento.
Quem contará a sua geração?
Porque a sua vida é tirada da terra.
34Perguntou o eunuco a Filipe: Peço-te que me digas de quem falou isso o profeta? De si mesmo ou de algum outro? 35Filipe abriu a boca e, principiando por esta Escritura, anunciou-lhe a Jesus. 36Indo eles pelo caminho, chegaram a um lugar onde havia água, e disse o eunuco: Eis aqui água; que impede que seja eu batizado? 37[E disse Filipe: É lícito, se crês de todo o coração. E, respondendo ele, disse: Creio que Jesus é o Filho de Deus.] 38Mandou parar o carro, e desceram ambos à água, Filipe e o eunuco, e Filipe batizou-o. 39Quando subiram da água, o Espírito do Senhor arrebatou a Filipe; o eunuco não o viu mais, pois seguia o seu caminho, regozijando-se. 40Mas Filipe achou-se em Azoto e, passando além, evangelizava todas as cidades, até que chegou a Cesareia.
Loading reference in secondary version...

1917, 2010 Sociedade Bíblica do Brasil. Todos os direitos reservados.