2Coríntios 4 TB10 [abbreviation] brought to you by [publisher] Learn more

Devotional

Versions

Cancel
 
4
Paulo cumpre o seu ministério com fidelidade
1Por isso, tendo este #cp. 1Co 3.5ministério, como #1Co 7.25alcançamos misericórdia, #2Co 4.16; Lc 18.1; Gl 6.9; Ef 3.13; cp. 2Ts 3.13não desmaiamos; 2porém temos renunciado #Rm 6.21; cp. 1Co 4.5as coisas ocultas, que são vergonhosas, não andando em astúcia, #2Co 2.17nem mercadejando com a palavra de Deus, mas, pela manifestação da verdade, #2Co 5.11s.recomendando-nos à consciência de todos os homens diante de Deus. 3Se ainda #2Co 3.14; cp. 1Co 2.6ss.um véu permanece sobre #2Co 2.12o nosso evangelho, #1Co 1.18; 2Co 2.15naqueles que perecem está o véu, 4nos quais #Jo 12.31o deus #Mt 13.22deste mundo #cp. 2Co 3.14cegou as mentes dos incrédulos, para que não lhes raiasse #2Co 4.6; cp. At 26.18a luz do evangelho da #2Co 3.18; cp. 2Co 4.6glória de Cristo, o qual é #Cl 1.15; cp. Fp 2.6; Hb 1.3; Jo 1.18a imagem de Deus. 5Pois não nos pregamos #1Ts 2.6s.; cp. 1Co 4.15s.a nós mesmos, mas a Cristo Jesus como Senhor e nós mesmos, como vossos servos, por amor de Jesus. 6Pois Deus, que diz: #Gn 1.3; cp. 2Pe 1.19Das trevas brilhará a luz, é quem brilhou em nossos corações para iluminação do conhecimento da glória de Deus na face de Cristo.
O poder de Paulo vem só de Deus
7Temos, porém, esse tesouro em #2Co 5.1; 2Tm 2.20; cp. Jó 4.19; 10.9; 33.6; Lm 4.2vasos de barro, a fim de que a excelência do #1Co 2.5; cp. Jz 7.2poder seja de Deus e não venha de nós. 8Em tudo, #2Co 7.5; cp. 1.8somos atribulados, mas não angustiados; #Gl 4.20perplexos, mas não desesperados; 9#Jo 15.20; Rm 8.35s.perseguidos, mas não #Hb 13.5; cp. Sl 129.2abandonados; #cp. Sl 37.24; Pv 24.16; Mq 7.8derribados, mas não destruídos; 10#Rm 6.5; 8.36; cp. Gl 6.17sempre levando no corpo a mortificação de Jesus, para que também #Rm 6.8a vida de Jesus seja manifestada em nosso corpo. 11Pois nós, que vivemos, estamos sempre entregues à morte por amor de Jesus, para que também a vida de Jesus seja manifestada na nossa carne mortal. 12Assim, a morte opera em nós, mas a vida, em vós. 13Mas, tendo o mesmo #1Co 12.9; Sl 116.10espírito da fé, conforme está escrito: Cri, por isso falei. Também nós cremos; por isso, também falamos, 14sabendo que aquele que #At 2.24ressuscitou ao Senhor Jesus também #1Ts 4.14nos ressuscitará a nós com Jesus e nos #Ef 5.27; Cl 1.22; Jd 24; cp. Lc 21.36apresentará convosco. 15Pois tudo é #2Co 1.6; cp. Rm 8.28por amor de vós, para que a graça, sendo #2Co 1.11; cp. 1Co 9.19multiplicada por muitos, faça abundar a ação de graças para a glória de Deus.
O desígnio e efeito das aflições
16Por isso, #2Co 4.1não desmaiamos; mas, ainda que em nós pereça o homem exterior, #Rm 7.22o homem interior #cp. Cl 3.10; Is 40.29,31renova-se de dia em dia. 17Pois a nossa #Rm 8.18leve aflição momentânea para nós produz cada vez mais abundantemente um eterno peso de glória, 18enquanto #2Co 5.7; cp. Rm 8.24; Hb 11.1,13não olhamos para as coisas que se veem, mas, sim, para as que se não veem; porque as coisas que se veem são temporais, mas as coisas que se não veem são eternas.