1
Prefácio e saudação
1Paulo, apóstolo de Cristo Jesus por vontade de Deus, e Timóteo, nosso irmão, à igreja de Deus que está em Corinto, com todos os santos que estão em toda a Acaia: 2Graça a vós e paz, da parte de Deus, nosso Pai, e da do Senhor Jesus Cristo.
Ação de graças pelo conforto que Deus lhe concedeu
3Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai de misericórdias e Deus de todo o conforto, 4que nos conforta em toda a nossa tribulação, para podermos confortar aqueles que se acham em qualquer tribulação, pelo conforto com que nós mesmos somos confortados por Deus. 5Pois, assim como para conosco crescem os sofrimentos de Cristo, assim também por Cristo cresce o nosso conforto. 6Mas, se somos atribulados, é para o vosso conforto e salvação; se somos confortados, é para o vosso conforto, o qual opera no suportar com fortaleza os mesmos sofrimentos que nós também sofremos. 7A nossa esperança por vós é firme, sabendo que, como sois participantes dos sofrimentos, assim também o sereis do conforto. 8Pois não queremos que vós ignoreis, irmãos, a tribulação que nos sobreveio na Ásia, como fomos excessivamente sobrecarregados além das nossas forças, a ponto de perder a esperança até da vida. 9Mas nós temos tido, dentro de nós mesmos, a sentença de morte, para que não confiássemos em nós mesmos, porém no Deus que ressuscita os mortos; 10o qual nos livrou de tão terrível morte e nos livrará; no qual temos esperado que também ainda nos livrará, 11ajudando-nos vós também com súplicas a nosso favor, para que, por muitas pessoas, sejam dadas graças por nós pelo dom que nos foi concedido por meio de muitos.
Paulo tem a sua consciência tranquila
12Pois a nossa glória é esta: o testemunho da nossa consciência, de que, em santidade e sinceridade de Deus, não em sabedoria carnal, mas, na graça de Deus, nos temos comportado no mundo, e mais especialmente para convosco. 13Pois não vos escrevemos outra coisa, senão aquilo que ou ledes ou mesmo reconheceis; e espero que o reconhecereis até o fim; 14assim também nos reconhecestes em parte, que somos a vossa glória, assim como vós também sois a nossa no Dia de nosso Senhor Jesus.
Explica a sua demora em ir vê-los
15Nesta, confiança, era a minha intenção, primeiro, ir ter convosco, para que recebêsseis um segundo benefício; 16e, por vós, passar à Macedônia, e da Macedônia ir ter outra vez convosco, e ser por vós encaminhado até a Judeia. 17Tendo eu, portanto, esta intenção, usei, porventura, de leviandade? Acaso, as coisas que proponho, proponho-as segundo a carne, para que haja comigo o sim, sim e o não, não? 18Mas, como Deus é fiel, a nossa palavra a vós não é sim e não. 19Pois o Filho de Deus, Cristo Jesus, que entre vós foi pregado por nós, a saber, por mim, Silvano e Timóteo, não se tornou sim e não, mas nele é sim. 20Por isso, tantas quantas forem as promessas de Deus, nele está o sim; porquanto também por ele é o amém para a glória de Deus, por nosso intermédio. 21Aquele que nos confirma convosco em Cristo e nos ungiu é Deus, 22que também imprimiu em nós o seu selo e, em nossos corações deu o penhor do Espírito.
23Mas eu tomo a Deus por testemunha sobre a minha alma, de que, para vos poupar, é que não fui mais a Corinto. 24Não porque temos domínio sobre a vossa fé, mas porque somos cooperadores do vosso gozo; pois, pela fé, estais firmes.
Loading reference in secondary version...

1917, 2010 Sociedade Bíblica do Brasil. Todos os direitos reservados.