1
Deus manda que o povo se arrependa
1No oitavo mês do segundo ano de Dario como rei da Pérsia, o Senhor Deus falou com o profeta Zacarias, filho de Baraquias e neto de Ido. O Deus Todo-Poderoso mandou que ele dissesse ao povo o seguinte:
2— Eu, o Senhor, fiquei muito irado com os seus antepassados. 3Portanto, agora eu digo a vocês: Voltem para mim, e eu, o Senhor Todo-Poderoso, voltarei para vocês. 4Não sejam como os seus antepassados, que não deram atenção aos profetas antigos quando eles anunciaram esta minha mensagem: “O Senhor Todo-Poderoso ordena que vocês deixem de ser maus e que abandonem as suas maldades.” Mas eles não me obedeceram. 5E agora onde estão os seus antepassados? E será que aqueles profetas ainda estão vivos? 6Por meio dos meus servos, os profetas, eu mandei mensagens e avisos aos antepassados de vocês. Mas eles não deram atenção e por isso foram castigados. Então eles se arrependeram e disseram: “O Senhor Todo-Poderoso fez o que tinha decidido fazer e nos castigou por causa dos nossos pecados. Ele fez o que merecíamos.”
A primeira visão: os cavalos
7No dia vinte e quatro do mês onze, chamado sebate, do segundo ano do reinado de Dario, eu, o profeta Zacarias, filho de Baraquias e neto de Ido, recebi uma mensagem de Deus, o Senhor. 8Naquela noite, tive uma visão e nela vi um anjo do Senhor montado num cavalo vermelho. O anjo estava parado num vale, no meio de umas moitas, e atrás dele estavam outros anjos montados, uns em cavalos vermelhos, outros em cavalos baios, e outros em cavalos brancos. 9Perguntei ao anjo que falava comigo:
— Meu senhor, quem são esses anjos montados em cavalos?
Ele respondeu:
— Eu vou lhe dizer.
10Aí o anjo que estava no meio das moitas disse:
— Eles são os anjos que o Senhor Deus enviou para andarem pelo mundo inteiro.
11Então aqueles anjos disseram ao anjo que estava no meio das moitas:
— Acabamos de andar por toda a terra e vimos que tudo está calmo e em paz.
12E o anjo do Senhor disse:
— Ó Senhor Todo-Poderoso, já faz setenta anos que estás irado com Jerusalém e com as cidades de Judá. Quanto tempo vai passar até que tenhas compaixão delas?
13O Senhor Deus respondeu com carinho ao anjo que estava falando comigo e disse palavras de consolo. 14Aí o anjo que falava comigo mandou que eu anunciasse em voz alta o seguinte:
— Esta é a mensagem do Senhor Todo-Poderoso: “Eu tenho grande amor por Jerusalém, a minha cidade. 15E estou muito irado com as nações que vivem sossegadas. Pois, quando eu estava um pouco irado com o meu povo, elas fizeram com que ele sofresse muito. 16Portanto, cheio de compaixão, voltei para Jerusalém. E eu, o Senhor Todo-Poderoso, prometo que o Templo e a cidade toda serão construídos de novo.”
17E o anjo me disse também:
— Anuncie que o Senhor Todo-Poderoso diz que as cidades dele terão de novo muitas riquezas. E ele ajudará Jerusalém, que voltará a ser a sua cidade escolhida.
A segunda visão: os chifres e os ferreiros
18Tive outra visão e vi quatro chifres de boi. 19Perguntei ao anjo que falava comigo:
— Que querem dizer estes chifres?
Ele respondeu:
— Eles representam as nações que espalharam pelo mundo inteiro os moradores de Judá, de Israel e de Jerusalém.
20Aí o Senhor Deus me mostrou quatro ferreiros. 21Eu perguntei:
— O que é que eles vêm fazer?
Ele respondeu:
— Os chifres são as nações que espalharam os moradores de Judá de tal maneira, que ninguém tinha coragem de levantar a cabeça. E agora estes ferreiros representam os que estão vindo para assustar e quebrar aqueles chifres, isto é, aquelas nações que conquistaram a terra de Judá e espalharam o seu povo.
Loading reference in secondary version...

2000 Sociedade Bíblica do Brasil. Todos os direitos reservados.