3
Deus julgará as nações
1O Senhor Deus diz:
— Naquele tempo, farei com que o povo de Jerusalém e de Judá prospere de novo. 2Então ajuntarei os povos de todos os países e os levarei para o vale de Josafá e ali os julgarei. Eu farei isso por causa das maldades que praticaram contra o povo de Israel, o meu povo escolhido: espalharam os israelitas por vários países e dividiram entre si o meu país. 3Tiraram a sorte para ver quem ficava com os prisioneiros do meu povo; venderam meninos e meninas como escravos e gastaram o dinheiro com prostitutas e com vinho.
4— Povos de Tiro e de Sidom e de toda a Filisteia, o que é que vocês querem de mim? Estão querendo se vingar? Se é isso que querem, então eu também estou pronto para me vingar de vocês! 5Pois vocês roubaram a minha prata e o meu ouro e puseram toda essa riqueza nos seus templos. 6Vocês levaram o povo de Judá e os moradores de Jerusalém para longe das suas terras e os venderam como escravos aos gregos. 7Eu vou trazer o meu povo de volta daqueles lugares distantes e farei com vocês o mesmo que vocês fizeram com eles. 8Farei com que os filhos e as filhas de vocês sejam vendidos como escravos ao povo de Judá, que os venderá aos sabeus, povo de um país que fica muito longe daqui. Sou eu, o Senhor, quem está falando.
9— Anunciem isto às nações:
“Preparem-se para uma guerra santa,
chamem os soldados;
que todos eles se apresentem
e se aprontem para a batalha.
10Transformem os seus arados em espadas
e das suas foices façam lanças.
Que até os fracos digam que são valentes!
11Venham depressa, todas as nações vizinhas,
e reúnam-se no vale.
Que até os pacíficos virem soldados!
12“Preparem-se, povos de todas as nações,
e venham para o vale de Josafá,
pois ali eu, o Senhor,
vou julgar todas as nações vizinhas.
13Os pecados dessas nações são tantos,
que elas vão ser cortadas como o trigo maduro no tempo da colheita;
elas vão ser pisadas como as uvas são pisadas nos tanques
até o vinho derramar.”
14Multidões e mais multidões enchem o vale da Decisão;
está perto o Dia do Senhor,
no vale da Decisão.
15O sol e a lua ficam escuros,
e as estrelas deixam de brilhar.
Deus abençoará o seu povo
16Do monte Sião, o Senhor fala alto,
a sua voz parece o trovão.
De Jerusalém, ouve-se o estrondo da voz de Deus,
e os céus e a terra tremem!
Mas ele defende e protege o povo de Israel.
17Deus diz ao seu povo:
“Assim vocês vão ficar sabendo
que eu sou o Senhor, o Deus de vocês.
Eu moro em Sião, o meu monte santo.
Jerusalém será uma cidade santa,
e os estrangeiros nunca mais a conquistarão.
18“Naquele tempo, os morros estarão cobertos de parreiras,
haverá vacas pastando por todos os montes,
e muita água vai correr nos ribeirões da terra de Judá.
Do meu Templo, sairá um rio
que regará o vale das Acácias.
19O Egito ficará abandonado,
e Edom parecerá um deserto,
pois eles invadiram a terra de Judá
e mataram pessoas inocentes.
20-21Eu vingarei a morte dessas pessoas
e castigarei os culpados.
Mas sempre haverá gente vivendo em Judá e em Jerusalém,
e eu, o Senhor, morarei no monte Sião.”
Loading reference in secondary version...

2000 Sociedade Bíblica do Brasil. Todos os direitos reservados.