14
A nossa vida é curta
1“Todos somos fracos desde o nascimento;
a nossa vida é curta e muito agitada.
2O ser humano é como a flor que se abre e logo murcha;
como uma sombra ele passa e desaparece.
3Nada somos; então por que nos dás atenção?
E quem sou eu para que me leves ao tribunal?
4O ser humano, que é impuro,
nunca produz nada que seja puro.
5Tu já marcaste quantos meses e dias cada um vai viver;
isso está resolvido,
e ninguém pode mudar.
6Para de olhar para nós
e deixa-nos em paz,
até que o nosso dia chegue ao fim,
como chega ao fim o dia de um trabalhador.
7“Para uma árvore há esperança;
se for cortada, brota de novo
e torna a viver.
8Mesmo que as suas raízes envelheçam,
e o seu toco morra na terra,
9basta um pouco de água, e ela brota,
soltando galhos como uma planta nova.
10Mas, quando alguém morre, está acabado;
depois de entregar a alma, para onde vai?
11“Como lagoas que secam,
como rios que deixam de correr,
12assim, enquanto o céu existir,
todos vamos morrer.
Vamos dormir o sono da morte,
para nunca mais levantar.
Eu esperarei por melhores tempos
13“Ah! Se tu me pusesses no mundo dos mortos
e ali me escondesses até que a tua ira passasse
e então marcasses um prazo para lembrares de mim!
14Mas será que alguém tornará a viver depois de ter morrido?
Eu, porém, esperarei por melhores tempos,
até que as minhas lutas acabem.
15Então me chamarás, e eu responderei;
e tu ficarás contente comigo, pois me criaste.
16Cuidarás para que eu não erre,
em vez de ficares espiando para me veres pecar.
17Esquecerás os meus pecados
e apagarás os meus erros.
Tu acabas com a nossa esperança
18“Mas assim como as montanhas vão se desmoronando,
e as rochas saem dos seus lugares;
19e assim como as águas escavam as pedras,
e as correntezas levam a terra,
assim tu acabas com a esperança do ser humano.
20Tu o derrotas, ele se vai para sempre,
e mudas a sua aparência quando o despedes deste mundo.
21Se os seus filhos recebem homenagens, ele não fica sabendo
e, se caem na desgraça, ele não tem notícia.
22Ele sente apenas as dores do seu próprio corpo
e a agonia do seu espírito.”
Loading reference in secondary version...

2000 Sociedade Bíblica do Brasil. Todos os direitos reservados.