5
A cura de um paralítico
1Depois disso, houve uma festa dos judeus, e Jesus foi até Jerusalém. 2Ali existe um tanque que tem cinco entradas e que fica perto do Portão das Ovelhas. Em hebraico esse tanque se chama “Betezata”. 3Perto das entradas estavam deitados muitos doentes: cegos, aleijados e paralíticos. [Esperavam o movimento da água, 4porque de vez em quando um anjo do Senhor descia e agitava a água. O primeiro doente que entrava no tanque depois disso sarava de qualquer doença.] 5Entre eles havia um homem que era doente fazia trinta e oito anos. 6Jesus viu o homem deitado e, sabendo que fazia todo esse tempo que ele era doente, perguntou:
— Você quer ficar curado?
7Ele respondeu:
— Senhor, eu não tenho ninguém para me pôr no tanque quando a água se mexe. Cada vez que eu tento entrar, outro doente entra antes de mim.
8Então Jesus disse:
— Levante-se, pegue a sua cama e ande!
9No mesmo instante, o homem ficou curado, pegou a cama e começou a andar. Isso aconteceu no sábado. 10Por isso os líderes judeus disseram a ele:
— Hoje é sábado, e a nossa Lei não permite que você carregue a sua cama neste dia.
11Ele respondeu:
— O homem que me curou me disse: “Pegue a sua cama e ande.”
12Eles perguntaram:
— Quem é o homem que mandou você fazer isso?
13Mas ele não sabia quem tinha sido, pois Jesus havia ido embora por causa da multidão que estava ali.
14Mais tarde Jesus encontrou o homem no pátio do Templo e disse a ele:
— Escute! Você agora está curado. Não peque mais, para que não aconteça com você uma coisa ainda pior.
15O homem saiu dali e foi dizer aos líderes judeus que quem o havia curado tinha sido Jesus. 16Então eles começaram a perseguir Jesus porque ele havia feito essa cura no sábado.
17Então Jesus disse a eles:
— O meu Pai trabalha até agora, e eu também trabalho.
18E, porque ele disse isso, os líderes judeus ficaram ainda com mais vontade de matá-lo. Pois, além de não obedecer à lei do sábado, ele afirmava que Deus era o seu próprio Pai, fazendo-se assim igual a Deus.
A autoridade do Filho de Deus
19Então Jesus disse a eles:
— Eu afirmo a vocês que isto é verdade: o Filho não pode fazer nada por sua própria conta, pois ele só faz o que vê o Pai fazer. Tudo o que o Pai faz o Filho faz também, 20pois o Pai ama o Filho e lhe mostra tudo o que está fazendo. E vai mostrar a ele coisas ainda maiores do que essas, e vocês vão ficar admirados. 21Porque, assim como o Pai ressuscita os mortos e lhes dá vida, assim também o Filho dá vida aos que ele quer. 22O Pai não julga ninguém, mas deu ao Filho todo o poder para julgar 23a fim de que todos respeitem o Filho, assim como respeitam o Pai. Quem não respeita o Filho também não respeita o Pai, que o enviou.
24— Eu afirmo a vocês que isto é verdade: quem ouve as minhas palavras e crê naquele que me enviou tem a vida eterna e não será julgado, mas já passou da morte para a vida. 25Eu afirmo a vocês que isto é verdade: vem a hora, e ela já chegou, em que os mortos vão ouvir a voz do Filho de Deus, e os que a ouvirem viverão. 26Assim como o Pai é a fonte da vida, assim também fez o Filho ser a fonte da vida. 27E ele deu ao Filho autoridade para julgar, pois ele é o Filho do Homem.
28— Não fiquem admirados por causa disso, pois está chegando a hora em que todos os mortos ouvirão a voz do Filho do Homem 29e sairão das suas sepulturas. Aqueles que fizeram o bem vão ressuscitar e viver, e aqueles que fizeram o mal vão ressuscitar e ser condenados.
Testemunhos a favor de Jesus
30Jesus continuou a falar a eles. Ele disse:
— Eu não posso fazer nada por minha própria conta, mas julgo de acordo com o que o Pai me diz. O meu julgamento é justo porque não procuro fazer a minha própria vontade, mas a vontade daquele que me enviou.
31— Se eu dou testemunho a favor de mim mesmo, então o que digo não tem valor. 32Mas existe outro que testemunha a meu favor, e eu sei que o que ele diz a respeito de mim é verdade. 33Vocês mandaram fazer perguntas a João, e o testemunho que ele deu é verdadeiro. 34Eu não preciso que ninguém dê testemunho a meu favor, mas digo essas coisas para que vocês sejam salvos.
35— João era como uma lamparina que estava acesa e brilhava, e por algum tempo vocês se alegraram com a luz dele. 36Mas eu tenho um testemunho a meu favor ainda mais forte do que o que João deu: são as coisas que eu faço, as quais o meu Pai me mandou fazer. Elas dão testemunho a favor de mim e provam que o Pai me enviou. 37Também o Pai, que me enviou, testemunha a meu favor. Vocês nunca ouviram a voz dele, nem viram o seu rosto. 38As palavras dele não estão no coração de vocês porque vocês não creem naquele que ele enviou. 39Vocês estudam as Escrituras Sagradas porque pensam que vão encontrar nelas a vida eterna. E são elas mesmas que dão testemunho a meu favor. 40Mas vocês não querem vir para mim a fim de ter vida.
41— Eu não procuro ser elogiado pelas pessoas. 42Quanto a vocês, eu os conheço e sei que não amam a Deus com sinceridade. 43Eu vim com a autoridade do meu Pai, e vocês não me recebem. Quando alguém vem com a sua própria autoridade, esse vocês recebem. 44Como é que vocês podem crer, se aceitam ser elogiados pelos outros e não tentam conseguir os elogios que somente o único Deus pode dar? 45Não pensem que sou eu que vou acusá-los diante do Pai; quem vai acusá-los é Moisés, que é aquele em quem vocês confiam. 46Se vocês acreditassem em Moisés, acreditariam também em mim, pois ele escreveu a meu respeito. 47Mas, se vocês não acreditam no que ele escreveu, como vão acreditar no que eu digo?
Loading reference in secondary version...

2000 Sociedade Bíblica do Brasil. Todos os direitos reservados.