3
Jesus e Nicodemos
1Havia um fariseu chamado Nicodemos, que era líder dos judeus. 2Uma noite ele foi visitar Jesus e disse:
— Rabi, nós sabemos que o senhor é um mestre que Deus enviou, pois ninguém pode fazer esses milagres se Deus não estiver com ele.
3Jesus respondeu:
— Eu afirmo ao senhor que isto é verdade: ninguém pode ver o Reino de Deus se não nascer de novo.
4Nicodemos perguntou:
— Como é que um homem velho pode nascer de novo? Será que ele pode voltar para a barriga da sua mãe e nascer outra vez?
5Jesus disse:
— Eu afirmo ao senhor que isto é verdade: ninguém pode entrar no Reino de Deus se não nascer da água e do Espírito. 6Quem nasce de pais humanos é um ser de natureza humana; quem nasce do Espírito é um ser de natureza espiritual. 7Por isso não fique admirado porque eu disse que todos vocês precisam nascer de novo. 8O vento sopra onde quer, e ouve-se o barulho que ele faz, mas não se sabe de onde ele vem, nem para onde vai. A mesma coisa acontece com todos os que nascem do Espírito.
9— Como pode ser isso? — perguntou Nicodemos.
10Jesus respondeu:
— O senhor é professor do povo de Israel e não entende isso? 11Pois eu afirmo ao senhor que isto é verdade: nós falamos daquilo que sabemos e contamos o que temos visto, mas vocês não querem aceitar a nossa mensagem. 12Se vocês não creem quando falo das coisas deste mundo, como vão crer se eu falar das coisas do céu? 13Ninguém subiu ao céu, a não ser o Filho do Homem, que desceu do céu.
14— Assim como Moisés, no deserto, levantou a cobra de bronze numa estaca, assim também o Filho do Homem tem de ser levantado, 15para que todos os que crerem nele tenham a vida eterna. 16Porque Deus amou o mundo tanto, que deu o seu único Filho, para que todo aquele que nele crer não morra, mas tenha a vida eterna. 17Pois Deus mandou o seu Filho para salvar o mundo e não para julgá-lo.
18— Aquele que crê no Filho não é julgado; mas quem não crê já está julgado porque não crê no Filho único de Deus. 19E é assim que o julgamento é feito: Deus mandou a luz ao mundo, mas as pessoas preferiram a escuridão porque fazem o que é mau. 20Pois todos os que fazem o mal odeiam a luz e fogem dela, para que ninguém veja as coisas más que eles fazem. 21Mas os que vivem de acordo com a verdade procuram a luz, a fim de que possa ser visto claramente que as suas ações são feitas de acordo com a vontade de Deus.
Jesus e João Batista
22Depois disso, Jesus e os seus discípulos foram para a região da Judeia. Ele ficou algum tempo com eles ali e batizava as pessoas. 23João também estava batizando em Enom, perto de Salim, porque lá havia muita água. 24(João ainda não tinha sido preso.)
25Alguns discípulos de João tiveram uma discussão com um judeu sobre a cerimônia de purificação. 26Eles foram dizer a João:
— Mestre, aquele homem que estava com o senhor no outro lado do rio Jordão está batizando as pessoas. O senhor falou sobre ele, lembra? E todos estão indo atrás dele.
27João respondeu:
— Ninguém pode ter alguma coisa se ela não for dada por Deus. 28Vocês são testemunhas de que eu disse: “Eu não sou o Messias, mas fui enviado adiante dele.” 29Num casamento, o noivo é aquele a quem a noiva pertence. O amigo do noivo está ali, e o escuta, e se alegra quando ouve a voz dele. Assim também o que está acontecendo com Jesus me faz ficar completamente alegre. 30Ele tem de ficar cada vez mais importante, e eu, menos importante.
Aquele que vem do céu
31Aquele que vem de cima é o mais importante de todos, e quem vem da terra é da terra e fala das coisas terrenas. Quem vem do céu é o mais importante de todos. 32Ele fala daquilo que viu e ouviu, mas ninguém aceita a sua mensagem. 33Quem aceita a sua mensagem dá prova de que o que Deus diz é verdade. 34Aquele que Deus enviou diz as palavras de Deus porque Deus dá do seu Espírito sem medida. 35O Pai ama o Filho e pôs tudo nas mãos dele. 36Por isso quem crê no Filho tem a vida eterna; porém quem desobedece ao Filho nunca terá a vida eterna, mas sofrerá para sempre o castigo de Deus.
Loading reference in secondary version...

2000 Sociedade Bíblica do Brasil. Todos os direitos reservados.