17
O pecado e o castigo de Judá
1O Senhor Deus disse:
— Povo de Judá, o seu pecado está escrito com ferro pontudo; está gravado com uma ponta de diamante no seu coração e nos cantos dos seus altares. 2Os seus filhos lembram dos altares e dos postes que foram levantados para a deusa Aserá, perto das árvores verdes, no alto dos morros 3e nas montanhas que estão no interior do país. Farei com que os inimigos de vocês levem embora todas as suas riquezas e tesouros por causa dos pecados que vocês cometeram em toda esta terra. 4Vocês terão de abandonar a terra que lhes dei. E farei com que vocês sejam escravos dos seus inimigos numa terra que não conhecem, pois a minha ira é como um fogo e queimará para sempre.
Pensamentos de sabedoria
5O Senhor Deus diz:
“Eu amaldiçoarei aquele que se afasta de mim,
que confia nos outros,
que confia na força de fracos seres humanos.
6Ele é como uma planta do deserto
que cresce na terra seca,
no chão salgado,
onde não cresce mais nada.
Nada de bom acontece com ele.
7“Mas eu abençoarei aquele que confia em mim,
aquele que tem fé em mim, o Senhor.
8Ele é como a árvore plantada perto da água,
que espalha as suas raízes até o ribeirão.
Quando vem o calor,
ela não tem medo,
pois as suas folhas ficam sempre verdes.
Quando não chove,
ela não se preocupa;
continua dando frutas.
9“Quem pode entender o coração humano?
Não há nada que engane tanto como ele;
está doente demais para ser curado.
10Eu, o Senhor, examino os pensamentos
e ponho à prova os corações.
Eu trato cada pessoa conforme a sua maneira de viver,
de acordo com o que ela faz.”
11O homem que ganha dinheiro desonestamente
é como a ave que choca ovos que não botou;
durante a sua vida, ele perde as suas riquezas
e no fim não passa de um tolo.
12O nosso Templo é como um trono glorioso;
desde o princípio, ele está num alto monte.
13Ó Senhor Deus, tu és a esperança do povo de Israel;
todos os que te abandonam serão humilhados.
Desaparecerão como nomes escritos na areia
porque abandonaram a ti, o Senhor,
a fonte de água fresca.
Jeremias pede a ajuda de Deus
14Ó Senhor, cura-me, e ficarei curado; salva-me, e serei salvo, pois eu canto louvores a ti.
15Os outros me dizem: “Onde estão as ameaças que o Senhor nos fez? Que elas se cumpram agora!”
16Mas, Senhor, eu nunca pedi que fizesses a desgraça cair sobre eles, nem pedi que passassem por tempos difíceis. Ó Deus, tu sabes disso; tu sabes o que eu disse. 17Não sejas para mim um motivo de terror; tu és para mim um lugar seguro no dia da desgraça. 18Que sejam humilhados os que me perseguem, mas eu não! Que eles fiquem cheios de terror, mas eu não! Manda que a desgraça caia sobre eles; acaba com eles completamente.
O sábado
19O Senhor Deus me disse:
— Jeremias, vá e fique no Portão do Povo, por onde os reis de Judá entram e saem da cidade; depois, vá a todos os outros portões de Jerusalém. 20Diga a todos que escutem as minhas palavras; diga isso aos reis, a todo o povo de Judá e a todos os moradores de Jerusalém que entram por esses portões. 21Diga que, se eles querem continuar a viver, não carreguem nenhuma carga no sábado. Que nesse dia não tragam nada para dentro dos portões de Jerusalém, 22nem carreguem nada para fora das suas casas. Diga que não trabalhem no sábado. O sábado deve ser guardado como dia sagrado, conforme mandei aos seus antepassados. 23Eles não me ouviram, nem me deram atenção. Pelo contrário, foram teimosos; não quiseram me obedecer, nem aprender.
24— Diga a esse povo que me obedeça de todo o coração. Que no sábado não carreguem nenhuma carga para dentro dos portões desta cidade! Diga que guardem o sábado como dia sagrado e não façam nenhum trabalho nesse dia. 25Então, sim, os seus reis e príncipes entrarão pelos portões de Jerusalém e terão o mesmo poder real que Davi teve. Eles andarão em carros e montarão cavalos, junto com o povo de Judá e de Jerusalém; e na cidade de Jerusalém sempre morará gente. 26Eles virão das cidades de Judá e dos povoados em volta de Jerusalém, e também do território de Benjamim, das planícies, das montanhas e da região sul. Eles trarão ao meu Templo ofertas a serem queimadas e sacrifícios, ofertas de cereais e incenso e ofertas de gratidão. 27Mas, se não me obedecerem, e não guardarem o sábado como dia sagrado, e se nesse dia carregarem cargas para dentro dos portões da cidade, então eu porei fogo nesses portões. O fogo destruirá os palácios de Jerusalém, e ninguém poderá apagá-lo.
Loading reference in secondary version...

2000 Sociedade Bíblica do Brasil. Todos os direitos reservados.