50
1José se atirou sobre o pai, chorando e beijando o seu rosto.
2Ele deu ordem aos médicos que estavam ao seu serviço para embalsamarem o corpo do seu pai, e assim eles fizeram. 3Gastaram quarenta dias para fazer isso, o tempo normal para embalsamar um corpo. E os egípcios ficaram de luto setenta dias.
4Quando passou o tempo do luto, José falou com os altos funcionários do palácio do rei do Egito. Ele disse:
— Façam o favor de levar ao rei a seguinte mensagem: 5“Quando o meu pai estava para morrer, ele me fez jurar que eu o sepultaria no túmulo que ele mesmo preparou no país de Canaã. Por favor, deixe-me ir sepultar o meu pai, que depois eu voltarei.”
6O rei respondeu:
— Vá e sepulte o seu pai, como ele fez você jurar que faria.
7E assim José foi sepultar o seu pai. Com ele foram as autoridades ligadas ao rei, os altos funcionários do palácio e todos os líderes do Egito. 8Foram também as famílias de José, dos seus irmãos e de Jacó. Deixaram na terra de Gosém somente as crianças pequenas, as ovelhas, as cabras e o gado. 9Também foram homens a cavalo e em carretas, de modo que o grupo era muito grande. 10Quando chegaram a Atade, que fica a leste do rio Jordão, fizeram uma cerimônia de sepultamento num terreiro onde o trigo é malhado. Ali choraram muito alto durante sete dias. 11Quando os moradores de Canaã viram tanta gente chorando, disseram: “Como é impressionante o choro desses egípcios!” Por isso puseram naquele lugar o nome de Abel-Misraim.
12Assim, os filhos de Jacó fizeram com o seu pai tudo o que ele havia ordenado. 13Eles levaram o seu corpo até Canaã e o sepultaram na caverna de Macpela, a leste de Manre, no terreno que Abraão havia comprado de Efrom, o heteu, para ser a sepultura da família. 14Depois do sepultamento, José voltou para o Egito com os irmãos e com todos os que o haviam acompanhado.
Final da história de José
15Depois da morte do pai, os irmãos de José disseram:
— Talvez José tenha ódio de nós e vá se vingar de todo o mal que lhe fizemos.
16Então mandaram dizer a José:
— Antes que o seu pai morresse, 17ele mandou que pedíssemos a você o seguinte: “Por favor, perdoe a maldade e o pecado dos seus irmãos, que o maltrataram.” Portanto, pedimos que perdoe a nossa maldade, pois somos servos do Deus do seu pai.
Quando recebeu essa mensagem, José chorou. 18Depois os próprios irmãos vieram, se curvaram diante dele e disseram:
— Aqui estamos; somos seus criados.
19Mas José respondeu:
— Não tenham medo; eu não posso me colocar no lugar de Deus. 20É verdade que vocês planejaram aquela maldade contra mim, mas Deus mudou o mal em bem para fazer o que hoje estamos vendo, isto é, salvar a vida de muita gente. 21Não tenham medo. Eu cuidarei de vocês e dos seus filhos.
Assim, ele os acalmou com palavras carinhosas, que tocaram o coração deles.
22José ficou morando no Egito, ele e a família do seu pai. José viveu cento e dez anos 23e chegou a ver os netos de Efraim. Ele também pegou no colo, como membros da família, os filhos do seu neto Maquir, que era filho de Manassés.
24Certo dia José disse aos irmãos:
— Eu vou morrer logo, mas estou certo de que Deus virá ajudá-los e os levará deste país para a terra que ele jurou dar a Abraão, a Isaque e a Jacó.
25Então José pediu à sua gente que fizesse um juramento. Ele disse:
— Estou certo de que Deus virá ajudar vocês. Quando isso acontecer, levem o meu corpo com vocês.
26José morreu com cento e dez anos. O seu corpo foi embalsamado e posto num caixão, no Egito.
Loading reference in secondary version...

2000 Sociedade Bíblica do Brasil. Todos os direitos reservados.