8
1E Saulo aprovou a morte de Estêvão.
Saulo persegue a igreja
Naquele mesmo dia a igreja de Jerusalém começou a sofrer uma grande perseguição. E todos os cristãos, menos os apóstolos, foram espalhados pelas regiões da Judeia e da Samaria. 2Alguns homens religiosos sepultaram Estêvão e choraram muito por causa da sua morte.
3Porém Saulo se esforçava para acabar com a igreja. Ele ia de casa em casa, arrastava homens e mulheres e os jogava na cadeia.
O evangelho em Samaria
4Aqueles que tinham sido espalhados anunciavam o evangelho por toda parte. 5Filipe foi até a capital da Samaria e anunciava Cristo às pessoas dali, 6e as multidões ouviam com atenção o que ele dizia. Todos o escutavam e viam os milagres que ele fazia. 7Os espíritos maus, gritando, saíam de muitas pessoas, e muitos coxos e paralíticos eram curados. 8E assim o povo daquela cidade ficou muito alegre.
9Morava ali um homem chamado Simão, que desde algum tempo atrás fazia feitiçaria entre os samaritanos e os havia deixado muito admirados. Ele se fazia de importante, 10e os moradores de Samaria, desde os mais importantes até os mais humildes, escutavam com muita atenção o que ele dizia. Eles afirmavam:
— Este homem é o poder de Deus! Ele é “o Grande Poder”!
11Eles davam atenção ao que Simão fazia porque durante muito tempo ele os havia deixado assombrados com as suas feitiçarias. 12Mas eles acreditaram na mensagem de Filipe a respeito da boa notícia do Reino de Deus e a respeito de Jesus Cristo e foram batizados, tanto homens como mulheres. 13O próprio Simão também creu. E, depois de ser batizado, acompanhava Filipe de perto, muito admirado com os grandes milagres e maravilhas que ele fazia.
14Os apóstolos, que estavam em Jerusalém, ficaram sabendo que o povo de Samaria também havia recebido a palavra de Deus e por isso mandaram Pedro e João para lá. 15Quando os dois chegaram, oraram para que a gente de Samaria recebesse o Espírito Santo, 16pois o Espírito ainda não tinha descido sobre nenhum deles. Eles apenas haviam sido batizados em nome do Senhor Jesus. 17Aí Pedro e João puseram as mãos sobre eles, e assim eles receberam o Espírito Santo.
18Simão viu que, quando os apóstolos punham as mãos sobre as pessoas, Deus dava a elas o Espírito Santo. Por isso ofereceu dinheiro a Pedro e a João, 19dizendo:
— Quero que vocês me deem também esse poder. Assim, quando eu puser as mãos sobre alguém, essa pessoa receberá o Espírito Santo.
20Então Pedro respondeu:
— Que Deus mande você e o seu dinheiro para o inferno! Você pensa que pode conseguir com dinheiro o dom de Deus? 21Você não tem direito de tomar parte no nosso trabalho porque o seu coração não é honesto diante de Deus. 22Arrependa-se, deixe o seu plano perverso e peça ao Senhor que o perdoe por essa má intenção. 23Vejo que você está cheio de inveja, uma inveja amarga como fel, e vejo também que você está preso pelo pecado.
24Aí Simão disse a Pedro e a João:
— Por favor, peçam ao Senhor por mim para que não aconteça comigo nada do que vocês disseram.
25Depois de terem dado o seu testemunho e de terem pregado a palavra do Senhor, Pedro e João voltaram para Jerusalém. No caminho eles espalhavam o evangelho em muitos povoados da Samaria.
Filipe e o alto funcionário da Etiópia
26Um anjo do Senhor disse a Filipe:
— Apronte-se e vá para o Sul, pelo caminho que vai de Jerusalém até a cidade de Gaza.
(Pouca gente passava por aquele caminho.)
27-28Filipe se aprontou e foi. No caminho ele viu um eunuco da Etiópia, que estava voltando para o seu país. Esse homem era alto funcionário, tesoureiro e administrador das finanças da rainha da Etiópia. Ele tinha ido a Jerusalém para adorar a Deus. Na volta, sentado na sua carruagem, ele estava lendo o livro do profeta Isaías. 29Então o Espírito Santo disse a Filipe:
— Chegue perto dessa carruagem e acompanhe-a.
30Filipe correu para perto da carruagem e ouviu o funcionário lendo o livro do profeta Isaías. Aí perguntou:
— O senhor entende o que está lendo?
31— Como posso entender se ninguém me explica? — respondeu o funcionário.
Então convidou Filipe para subir e sentar-se com ele na carruagem. 32A parte das Escrituras Sagradas que o funcionário estava lendo era esta:
“Ele era como um cordeiro que é levado
para ser morto;
era como uma ovelha que fica muda
quando cortam a sua lã.
Ele não disse nada.
33Foi humilhado, e foram injustos com ele.
Ninguém poderá falar
a respeito de descendentes dele,
já que a sua vida na terra chegou ao fim.”
34O funcionário perguntou a Filipe:
— Por favor, me explique uma coisa! De quem é que o profeta está falando isso? É dele mesmo ou de outro?
35Então, começando com aquela parte das Escrituras, Filipe anunciou ao funcionário a boa notícia a respeito de Jesus.
36Enquanto estavam viajando, chegaram a um lugar onde havia água. Então o funcionário disse:
— Veja! Aqui tem água. Será que eu não posso ser batizado?
37[Filipe respondeu:
— Se o senhor crê de todo o coração, é claro que pode.
E o funcionário disse:
— Sim, eu creio que Jesus Cristo é o Filho de Deus.]
38Ele mandou parar a carruagem, os dois entraram na água, e Filipe o batizou ali.
39Quando eles estavam saindo da água, o Espírito do Senhor levou Filipe embora. O funcionário não viu mais Filipe, porém continuou a sua viagem, cheio de alegria. 40De repente, Filipe se encontrou na cidade de Azoto e seguiu viagem, anunciando o evangelho por todas as cidades até chegar a Cesareia.
Loading reference in secondary version...

2000 Sociedade Bíblica do Brasil. Todos os direitos reservados.