16
Davi é ungido rei
1O Senhor Deus disse a Samuel:
— Até quando você vai continuar a ter pena de Saul? Eu não quero mais que ele seja rei de Israel. Encha um chifre com azeite e leve com você. Depois vá a Belém, até a casa de um homem chamado Jessé, pois eu escolhi um dos filhos dele para ser rei.
2— Como posso fazer isso? — respondeu Samuel. — Se Saul souber disso, ele me mata!
O Senhor Deus respondeu:
— Leve um bezerro e diga que você foi lá para oferecer um sacrifício ao Senhor. 3Convide Jessé para o sacrifício, e depois eu lhe digo o que fazer. Você ungirá como rei aquele que eu indicar.
4Samuel fez o que o Senhor Deus havia mandado e foi a Belém. Quando chegou lá, os líderes da cidade foram tremendo encontrá-lo e perguntaram:
— A sua visita é de paz?
5— Sim! — respondeu ele. — Eu vim oferecer um sacrifício a Deus. Purifiquem-se e venham comigo.
Ele mandou que Jessé e os seus filhos se purificassem e os convidou para o sacrifício.
6Quando eles chegaram, Samuel viu Eliabe, um dos filhos de Jessé, e pensou:
— Este homem que está aqui na presença de Deus, o Senhor, certamente é aquele que o Senhor escolheu.
7Mas o Senhor disse:
— Não se impressione com a aparência nem com a altura deste homem. Eu o rejeitei porque não julgo como as pessoas julgam. Elas olham para a aparência, mas eu vejo o coração.
8Então Jessé chamou o seu filho Abinadabe e o levou a Samuel. Mas Samuel disse:
— Este também não foi escolhido pelo Senhor.
9Aí Jessé trouxe o seu filho Simeia. E Samuel disse:
— O Senhor Deus também não escolheu este.
10Assim Jessé apresentou a Samuel sete dos seus filhos. E Samuel disse:
— O Senhor Deus não escolheu nenhum destes.
11E perguntou a Jessé:
— Você não tem mais nenhum filho?
Jessé respondeu:
— Tenho mais um, o caçula, mas ele está fora, tomando conta das ovelhas.
— Então mande chamá-lo! — disse Samuel. — Nós não vamos oferecer o sacrifício enquanto ele não vier.
12Aí Jessé mandou buscá-lo. Era um belo rapaz, saudável e de olhos brilhantes. E o Senhor disse a Samuel:
— É este mesmo. Unja-o.
13Samuel pegou o chifre cheio de azeite e ungiu Davi na frente dos seus irmãos. E o Espírito do Senhor dominou Davi e daquele dia em diante ficou com ele. E Samuel voltou para Ramá.
Davi e Saul
14O Espírito do Senhor saiu de Saul, e um espírito mau, mandado por Deus, começou a atormentá-lo. 15Então os empregados de Saul lhe disseram:
— Sabemos que um espírito mau mandado por Deus está atormentando o senhor. 16Mande, e nós iremos procurar um homem que saiba tocar lira. Assim, quando o espírito mau vier sobre o senhor, o homem tocará a lira, e o senhor ficará bom de novo.
17E Saul ordenou:
— Procurem um homem que toque bem lira e o tragam aqui.
18Um dos empregados respondeu:
— Jessé, da cidade de Belém, tem um filho que é bom músico. Ele também é valente, bom soldado, fala bem, tem boa aparência, e o Senhor Deus está com ele.
19Aí Saul enviou mensageiros com este recado para Jessé:
— Mande-me o seu filho Davi, aquele que toma conta das ovelhas.
20Então Jessé mandou Davi a Saul, e Davi levou de presente um odre cheio de vinho, um cabrito e um jumento carregado de pão. 21Davi foi e ficou trabalhando para Saul. Este gostou muito de Davi e o escolheu para carregar as suas armas. 22E mandou a seguinte mensagem a Jessé:
— Eu gostei de Davi. Deixe que ele fique aqui a meu serviço.
23Daí em diante, toda vez que o espírito mau mandado por Deus vinha sobre Saul, Davi pegava a sua lira e tocava. O espírito mau saía de Saul, e ele se sentia melhor e ficava bom novamente.
Loading reference in secondary version...

2000 Sociedade Bíblica do Brasil. Todos os direitos reservados.