2
Os últimos conselhos de Davi a Salomão
1Quando estava chegando o dia da morte de Davi, ele deu conselhos ao seu filho Salomão. Davi disse:
2— Está chegando o dia da minha morte. Portanto, seja corajoso e seja homem! 3E faça aquilo que o Senhor, seu Deus, manda. Obedeça a todas as suas leis e mandamentos, como estão escritos na Lei de Moisés. Assim você será bem sucedido aonde quer que for e em tudo o que fizer. 4Se você obedecer ao Senhor Deus, ele cumprirá a promessa que me fez. Ele me prometeu que os meus descendentes governariam Israel enquanto obedecessem cuidadosamente e fielmente aos seus mandamentos, com todo o seu coração e com toda a sua alma.
5— Além disso, você sabe o que Joabe, cuja mãe é Zeruia, me fez. Ele matou os dois comandantes do exército de Israel, isto é, Abner, filho de Ner, e Amasa, filho de Jéter. Você sabe como, em tempo de paz, ele os matou para vingar as mortes que eles haviam causado em tempo de guerra. Joabe matou homens inocentes, e agora eu sou o responsável pelo que ele fez e estou sofrendo as consequências. 6Você sabe o que deve fazer. Não deixe que ele tenha morte natural.
7— Mas seja bondoso para os filhos de Barzilai, que é de Gileade, e deixe que eles comam à sua mesa, pois foram bons para mim quando eu estava fugindo do seu irmão Absalão.
Davi continuou:
8— E não esqueça Simei, filho de Gera, da cidade de Baurim, no território da tribo de Benjamim. Ele me amaldiçoou duramente no dia em que fui a Maanaim. Porém, quando eu me encontrei com ele perto do rio Jordão, jurei em nome do Senhor que não o mandaria matar. 9Mas você é um homem sábio e não deve deixar que ele fique sem castigo. Você sabe o que deve fazer para que ele morra.
A morte de Davi
10Davi morreu e foi sepultado ao lado dos seus antepassados na Cidade de Davi. 11Ele foi rei de Israel quarenta anos. Governou sete anos em Hebrom e trinta e três anos em Jerusalém. 12Salomão ficou no lugar de Davi, o seu pai, como rei, e o seu governo se fortaleceu muito.
A morte de Adonias
13Então Adonias, filho de Hagite, foi visitar Bate-Seba, a mãe de Salomão. Ela perguntou:
— A sua visita é de amigo?
— É, sim! — respondeu ele.
14E continuou:
— Eu quero lhe dizer uma coisa.
— Diga! — disse ela.
15E Adonias disse:
— A senhora sabe que sou eu quem deveria ser o rei e que todos esperavam isso em Israel. Mas as coisas aconteceram de modo diferente, e o meu irmão se tornou rei porque essa era a vontade de Deus, o Senhor. 16Agora vou lhe fazer só um pedido e peço que a senhora me atenda.
— O que você quer? — perguntou Bate-Seba.
17E ele disse:
— Peça ao rei Salomão que me dê Abisague, a moça de Suném, para ser minha mulher. Eu sei que Salomão não deixará de atender um pedido seu.
18— Está bem! — respondeu ela. — Eu vou falar com o rei por você.
19Então Bate-Seba foi falar com o rei em favor de Adonias. Salomão se levantou para recebê-la e se inclinou diante dela. Depois sentou-se no seu trono e mandou que trouxessem um trono para Bate-Seba, e ela se sentou do lado direito do rei. 20Aí Bate-Seba disse:
— Tenho um pequeno pedido para lhe fazer. Por favor, não recuse.
E o rei disse:
— Pode pedir, minha mãe. Eu não recusarei.
21Bate-Seba disse:
— Dê Abisague em casamento ao seu irmão Adonias.
22— Por que é que a senhora está pedindo Abisague para Adonias? — perguntou Salomão. — A senhora deveria pedir que eu dê a ele também o reino. Afinal, Adonias é o meu irmão mais velho, e o sacerdote Abiatar e Joabe estão do lado dele!
23Aí Salomão jurou pelo Senhor Deus assim:
— Que Deus me castigue, e em dobro, se eu não fizer Adonias pagar com a vida por ter feito esse pedido! 24O Senhor Deus me firmou no trono do meu pai Davi; ele cumpriu a sua promessa e deu o reino a mim e aos meus descendentes. Juro pelo Deus vivo que Adonias morrerá hoje mesmo!
25Então o rei deu ordem a Benaías, e ele foi, atacou Adonias e o matou.
A morte de Joabe
26Depois o rei Salomão disse ao sacerdote Abiatar:
— Vá para as suas terras em Anatote. Você merece morrer, mas eu não vou mandar matá-lo hoje porque você, quando estava com o meu pai Davi, era o encarregado da arca da aliança e passou pelas mesmas dificuldades pelas quais o meu pai passou.
27Depois Salomão dispensou Abiatar do serviço de sacerdote de Deus e assim fez com que acontecesse o que o Senhor Deus tinha dito em Siló a respeito do sacerdote Eli e dos seus descendentes.
28Joabe soube do que aconteceu. (Ele havia passado para o lado de Adonias, porém não havia passado para o lado de Absalão.) Então fugiu para a Tenda da Presença do Senhor Deus e ficou segurando nas pontas do altar. 29Contaram ao rei Salomão que Joabe havia fugido para a Tenda e estava ao lado do altar. Aí ele mandou um mensageiro perguntar a Joabe por que havia fugido para o altar. Joabe respondeu que havia fugido para o Senhor Deus porque estava com medo de Salomão. Então Salomão mandou que Benaías fosse matar Joabe. 30Benaías foi até a Tenda de Deus e disse a Joabe:
— O rei mandou você sair daí.
— Não saio! — respondeu Joabe. — Eu morrerei aqui.
Então Benaías voltou e contou ao rei o que Joabe tinha dito.
31Aí Salomão ordenou:
— Faça o que ele disse. Mate-o e sepulte-o. Assim nem eu nem os descendentes do meu pai Davi seremos mais considerados culpados pelo que Joabe fez quando matou homens inocentes. 32O Senhor Deus castigará Joabe pelos assassinatos que cometeu sem o conhecimento do meu pai Davi. Sem o meu pai saber, Joabe matou dois homens que eram inocentes e que eram melhores do que ele: Abner, comandante do exército de Israel, e Amasa, comandante do exército de Judá. 33O castigo pelo assassinato desses dois homens cairá para sempre sobre Joabe e sobre os seus descendentes. Mas o Senhor sempre dará prosperidade aos descendentes de Davi que forem reis depois dele.
34Então Benaías foi até a Tenda de Deus e matou Joabe. Ele foi sepultado na sua propriedade, em campo aberto. 35O rei pôs Benaías como comandante do exército no lugar de Joabe e colocou o sacerdote Zadoque no lugar de Abiatar.
A morte de Simei
36Depois o rei Salomão mandou buscar Simei e disse:
— Faça uma casa para você aqui em Jerusalém. Fique morando nela e não saia da cidade. 37E fique sabendo que, no dia em que você sair e atravessar o ribeirão Cedrom, você será morto, e a culpa será somente sua.
38— Está bem, ó rei! — respondeu Simei. — Eu prometo fazer o que o senhor está mandando.
E ele ficou morando em Jerusalém por muito tempo.
39Acontece que, três anos depois, dois escravos de Simei fugiram e foram procurar refúgio com o governador da cidade de Gate, que era Aquis, filho de Maacá. 40Simei ficou sabendo; por isso, selou o seu jumento e foi até Gate falar com Aquis a fim de procurar os seus escravos. Ele os achou e os levou de volta para casa. 41Quando Salomão soube do que Simei havia feito, 42mandou buscá-lo e disse:
— Eu fiz você jurar em nome do Senhor que não sairia de Jerusalém. Eu lhe avisei que, se fizesse isso, você certamente morreria. Você concordou com isso e disse que me obedeceria. 43Então por que é que você quebrou o seu juramento feito em nome do Senhor e desobedeceu à minha ordem? 44Você sabe muito bem de todo o mal que fez a Davi, meu pai. O Senhor Deus fará com que a sua maldade caia sobre você mesmo, 45porém me abençoará e fará com que o reino de Davi fique seguro para sempre.
46Aí o rei deu ordem a Benaías, e ele saiu, atacou Simei e o matou. E assim Salomão controlou completamente a situação do seu governo.
Loading reference in secondary version...

2000 Sociedade Bíblica do Brasil. Todos os direitos reservados.