Parallel
30
Deus castiga o Egito
1Novamente o Senhor falou comigo. Ele disse:
2Homem mortal, profetize e anuncie o que eu, o Senhor Deus, estou dizendo. Gritem o seguinte:
“Dia de terror!
3O dia está perto, o dia em que o Senhor vai agir,
um dia de nuvens e de castigo para as nações.”
4Haverá guerra no Egito
e grande sofrimento na Etiópia.
Muitos serão mortos no Egito;
o país será roubado e arrasado.
5Essa guerra também matará
os soldados contratados da Etiópia, Lídia, Líbia, Arábia e Cube
e até do meu próprio povo.
6O Senhor diz:
— Desde Migdol, que fica no Norte, até Assuã, que fica no Sul, todos os que defendem o Egito serão mortos em batalha. O orgulhoso exército egípcio será destruído. Sou eu, o Senhor Deus, quem está falando. 7O país será o mais deserto do mundo, e as suas cidades serão completamente arrasadas. 8Quando eu incendiar o Egito, e aqueles que o defendem estiverem mortos, todos ficarão sabendo que eu sou o Senhor.
9— Quando aquele dia chegar, e o Egito for destruído, mandarei mensageiros em navios para porem medo no povo descuidado da Etiópia, e esse povo ficará apavorado. E aquele dia está chegando!
10O Senhor Deus diz:
— Usarei Nabucodonosor, rei da Babilônia, para acabar com a riqueza do Egito. 11Ele e o seu exército violento virão para arrasar o Egito. Eles atacarão com espadas, e a terra dos egípcios ficará cheia de mortos. 12Secarei o rio Nilo; entregarei o Egito a homens maus. Estrangeiros arrasarão o país todo. Eu, o Senhor, falei.
13O Senhor Deus diz:
— Também destruirei os ídolos e os falsos deuses de Mênfis. Não ficará ninguém para governar o Egito. Espalharei o terror no meio do povo. 14Farei com que o Sul do Egito vire um deserto e porei fogo na cidade de Zoã, no Norte. Castigarei Tebas, a capital. 15Derramarei a minha ira sobre a cidade de Pelúsio, a grande fortaleza do Egito, e acabarei com a riqueza de Tebas. 16Incendiarei o Egito, e Pelúsio se retorcerá de dor. As muralhas de Tebas serão derrubadas, e a cidade será inundada. 17Os moços das cidades de Heliópolis e Bubaste morrerão na guerra, e os outros moradores serão levados presos. 18Quando eu quebrar o poder do Egito e acabar com a força de que tanto se gaba, a escuridão cairá sobre a cidade de Tafnes. Uma nuvem cobrirá o Egito, e os moradores de todas as suas cidades serão levados prisioneiros. 19Assim castigarei o Egito, e aí eles ficarão sabendo que eu sou o Senhor.
O rei de braços quebrados
20No ano décimo primeiro do nosso cativeiro, no sétimo dia do primeiro mês , o Senhor falou comigo. Ele disse:
21Homem mortal, eu quebrei um dos braços do rei do Egito. Ninguém amarrou o braço dele, nem o pôs numa tipoia a fim de que sarasse e ficasse forte, e assim ele pudesse usar de novo a espada. 22Agora, eu, o Senhor Deus, digo isto: “Eu estou contra o rei do Egito. Quebrarei os seus dois braços, tanto o bom como o que já está quebrado, e a espada cairá da mão dele. 23Espalharei os egípcios pelo mundo inteiro. 24Aí farei com que os braços do rei da Babilônia fiquem fortes e porei a minha espada nas mãos dele. Porém quebrarei os braços do rei do Egito, e assim ele gemerá e morrerá na frente do seu inimigo. 25Sim! Farei com que o rei do Egito fique fraco e darei força ao rei da Babilônia. Quando eu lhe der a minha espada, e ele a apontar para o Egito, todos ficarão sabendo que eu sou o Senhor. 26Espalharei os egípcios pelo mundo. Aí eles ficarão sabendo que eu sou o Senhor.”