Parallel
21
A espada de Deus
1O Senhor me disse o seguinte:
2Homem mortal, fale contra Jerusalém. Fale contra os lugares onde o povo adora. Avise a terra de Israel 3que eu, o Senhor, estou dizendo isto: “Eu estou contra vocês. Vou tirar a minha espada e matar todos, tanto os bons como os maus. 4Usarei a minha espada contra todos, do Sul ao Norte. 5Todos ficarão sabendo que eu, o Senhor, tirei a minha espada da bainha e que não vou guardá-la.”
6— Homem mortal, fique gemendo como se o seu coração estivesse arrebentando de desespero. Vá para um lugar onde todos possam ver você e solte gemidos de tristeza. 7Quando perguntarem por que você está gemendo, responda que é por causa daquilo que vai acontecer. Diga que eles perderão a coragem. Os corações deles ficarão cheios de medo, os braços ficarão moles e os joelhos tremerão. O tempo chegou; já está aqui. Eu, o Senhor Deus, estou falando.
8O Senhor me disse o seguinte:
9— Homem mortal, profetize. Diga ao povo que eu, o Senhor, estou dizendo isto:
“A espada, a espada está afiada e brilhando.
10Ela está afiada para matar
e polida para brilhar como relâmpago.
Não pode haver alegria,
pois o meu povo rejeitou todos os conselhos e castigos.
11A espada está sendo polida,
está pronta para ser usada.
Está afiada e polida
para ser posta nas mãos de um matador.
12Grite e solte gemidos, homem mortal;
essa espada é para atacar o meu povo
e todos os líderes de Israel.
Eles serão mortos com todo o resto do meu povo.
Bata no peito em sinal de desespero.
13Estou pondo o meu povo à prova;
se não quiserem se arrepender,
todas essas coisas acontecerão a eles.
Sou eu, o Senhor Deus, quem está falando.”
14— Agora, homem mortal, profetize. Bata palmas, e a espada ferirá muitas vezes. É uma espada que mata, uma espada que produz terror e matança. 15Ela faz o meu povo perder a coragem e tropeçar. Estou ameaçando a cidade deles com a espada que brilha como o relâmpago e que está pronta para matar. 16Espada afiada, corte à direita e à esquerda! Corte em todos os lados para onde você virar. 17Eu também baterei palmas, e a minha ira passará. Eu, o Senhor, falei.
A espada do rei da Babilônia
18O Senhor me disse o seguinte:
19Homem mortal, marque duas estradas por onde o rei da Babilônia poderá vir com a sua espada. As duas devem começar no mesmo país. Ponha placas indicando onde as estradas se dividem em duas. 20Uma placa mostrará ao rei o caminho para a cidade amonita de Rabá, e a outra, para Jerusalém, a cidade cercada de muralhas, que fica em Judá. 21O rei da Babilônia para na encruzilhada da estrada. E, a fim de saber que caminho tomar, ele sacode as flechas , faz perguntas aos seus deuses e examina o fígado de um animal que foi oferecido em sacrifício. 22Agora, a sua mão direita está segurando a flecha marcada com a palavra “Jerusalém”. É para o rei da Babilônia ir, soltar gritos de guerra, preparar máquinas de derrubar muralhas, colocá-las na frente dos portões e levantar rampas e torres de ataque. 23O povo de Jerusalém não quer acreditar nisso por causa dos acordos que eles fizeram. Mas esta profecia é para fazer com que lembrem dos seus pecados, é um sinal de que serão presos. 24Isso é o que eu, o Senhor Deus, estou dizendo. Todos podem ver os seus pecados. Todo o mundo sabe o quanto vocês são culpados. Em cada ação que praticam, vocês mostram os seus pecados. Vocês estão condenados, e eu os entregarei aos seus inimigos.
25— Você, governador de Israel , é perverso e não teme a Deus, e por isso o seu dia, o dia do seu castigo final, também está chegando. 26A sua coroa e o seu turbante serão tirados. As coisas não vão continuar como estão. Os pobres terão poder, e os que estão no poder serão rebaixados. 27Destruição! Destruição! Sim! Destruirei a cidade. Mas isso não acontecerá até que venha aquele a quem vou entregar a cidade. Eu, o Senhor Deus, falei.
Aviso aos amonitas
28Homem mortal, profetize. Anuncie aquilo que eu, o Senhor Deus, estou dizendo aos amonitas, que estão insultando o povo de Israel. Diga isto:
“A espada está pronta para destruir;
está polida para matar
e para brilhar como o relâmpago.”
29— Amonitas, as suas visões são falsas, e as profecias que fazem são mentiras. Vocês são maus e perversos. O seu dia está chegando, o dia do seu castigo final. A espada cairá sobre o pescoço de vocês.
30— Amonitas, ponham a sua espada na bainha. Eu os julgarei no lugar onde foram criados, na terra onde nasceram. 31Quando a minha ira cair sobre vocês, ela os queimará como labaredas de fogo. Eu os entregarei a homens violentos, preparados para destruir. 32Vocês serão destruídos pelo fogo. O seu sangue será derramado no seu próprio país, e ninguém nunca mais lembrará de vocês. Eu, o Senhor, falei.