Parallel
33
A bênção de Moisés
1Esta é a bênção que Moisés, homem de Deus, deu aos filhos de Israel, antes da sua morte. 2Disse, pois:
O Senhor veio do Sinai
e lhes alvoreceu de Seir,
resplandeceu desde o monte Parã;
e veio das miríades de santos;
à sua direita, havia para eles o fogo da lei.
3Na verdade, amas os povos;
todos os teus santos estão na tua mão;
eles se colocam a teus pés
e aprendem das tuas palavras.
4Moisés nos prescreveu a lei
por herança da congregação de Jacó.
5E o Senhor se tornou rei ao seu povo amado,
quando se congregaram os cabeças do povo
com as tribos de Israel.
6Viva Rúben e não morra;
e não sejam poucos os seus homens!
7Isto é o que disse de Judá:
Ouve, ó Senhor, a voz de Judá
e introduze-o no seu povo;
com as tuas mãos, peleja por ele
e sê tu ajuda contra os seus inimigos.
8De Levi disse:
Dá, ó Deus, o teu Tumim e o teu Urim
para o homem,#Êx 28.30 teu fidedigno,
que tu provaste em Massá,#Êx 17.7
com quem contendeste nas águas de Meribá;#Êx 17.7; Nm 20.13
9aquele que disse a seu pai e a sua mãe:
Nunca os vi;
e não conheceu a seus irmãos
e não estimou a seus filhos,
pois guardou a tua palavra
e observou a tua aliança.
10Ensinou os teus juízos a Jacó
e a tua lei, a Israel;
ofereceu incenso às tuas narinas
e holocausto, sobre o teu altar.
11Abençoa o seu poder, ó Senhor,
e aceita a obra das suas mãos,
fere os lombos dos que se levantam contra ele e o aborrecem,
para que nunca mais se levantem.
12De Benjamim disse:
O amado do Senhor habitará seguro com ele;
todo o dia o Senhor o protegerá,
e ele descansará nos seus braços.
13De José disse:
Bendita do Senhor seja a sua terra,
com o que é mais excelente dos céus,
do orvalho e das profundezas,
14com o que é mais excelente daquilo que o sol amadurece
e daquilo que os meses produzem,
15com o que é mais excelente dos montes antigos
e mais excelente dos outeiros eternos,
16com o que é mais excelente da terra e da sua plenitude
e da benevolência daquele que apareceu na sarça;
que tudo isto venha sobre a cabeça de José,
sobre a cabeça do príncipe entre seus irmãos.
17Ele tem a imponência do primogênito do seu touro,
e as suas pontas são como as de um boi selvagem;
com elas rechaçará todos os povos
até às extremidades da terra.
Tais, pois, as miríades de Efraim,
e tais, os milhares de Manassés.
18De Zebulom disse:
Alegra-te, Zebulom, nas tuas saídas marítimas,
e tu, Issacar, nas tuas tendas.
19Os dois chamarão os povos ao monte;
ali apresentarão ofertas legítimas,
porque chuparão a abundância dos mares
e os tesouros escondidos da areia.
20De Gade disse:
Bendito aquele que faz dilatar Gade,
o qual habita como a leoa
e despedaça o braço e o alto da cabeça.
21E se proveu da melhor parte,
porquanto ali estava escondida a porção do chefe;
ele marchou adiante do povo,
executou a justiça do Senhor
e os seus juízos para com Israel.
22De Dã disse:
Dã é leãozinho;
saltará de Basã.
23De Naftali disse:
Naftali goza de favores
e, cheio da bênção do Senhor,
possuirá o lago e o Sul.
24De Aser disse:
Bendito seja Aser entre os filhos de Jacó,
agrade a seus irmãos
e banhe em azeite o pé.
25Sejam de ferro e de bronze os teus ferrolhos,
e, como os teus dias, durará a tua paz.
26Não há outro, ó amado, semelhante a Deus,
que cavalga sobre os céus para a tua ajuda
e com a sua alteza sobre as nuvens.
27O Deus eterno é a tua habitação
e, por baixo de ti, estende os braços eternos;
ele expulsou o inimigo de diante de ti
e disse: Destrói-o.
28Israel, pois, habitará seguro,
a fonte de Jacó habitará a sós
numa terra de cereal e de vinho;
e os seus céus destilarão orvalho.
29Feliz és tu, ó Israel! Quem é como tu?
Povo salvo pelo Senhor,
escudo que te socorre,
espada que te dá alteza.
Assim, os teus inimigos te serão sujeitos,
e tu pisarás os seus altos.