Parallel
105
Salmo 105
1Deem graças ao Senhor,
proclamem o seu nome;
divulguem os seus feitos entre as nações.
2Cantem para ele e louvem-no;
relatem todas as suas maravilhas.
3Gloriem-se no seu santo nome;
alegre-se o coração dos
que buscam o Senhor.
4Recorram ao Senhor e ao seu poder;
busquem sempre a sua presença.
5Lembrem-se das maravilhas que ele fez,
dos seus prodígios
e das sentenças de juízo que pronunciou,
6ó descendentes de Abraão, seu servo,
ó filhos de Jacó, seus escolhidos.
7Ele é o Senhor, o nosso Deus;
seus decretos são para toda a terra.
8Ele se lembra para sempre da sua aliança,
por mil gerações, da palavra que ordenou,
9da aliança que fez com Abraão,
do juramento que fez a Isaque.
10Ele o confirmou como decreto a Jacó,
a Israel como aliança eterna, quando disse:
11“Darei a você a terra de Canaã,
a herança que lhe pertence”.
12Quando ainda eram poucos,
um punhado de peregrinos na terra,
13e vagueavam de nação em nação,
de um reino a outro,
14ele não permitiu que ninguém os oprimisse,
mas a favor deles repreendeu reis, dizendo:
15“Não toquem nos meus ungidos;
não maltratem os meus profetas”.
16Ele mandou vir fome sobre a terra
e destruiu todo o seu sustento;
17mas enviou um homem adiante deles,
José, que foi vendido como escravo.
18Machucaram-lhe os pés com correntes
e com ferros prenderam-lhe o pescoço,
19até cumprir-se a sua predição
e a palavra do Senhor confirmar o que dissera.
20O rei mandou soltá-lo,
o governante dos povos o libertou.
21Ele o constituiu senhor de seu palácio
e administrador de todos os seus bens,
22para instruir os seus oficiais como desejasse
e ensinar a sabedoria às autoridades do rei.
23Então Israel foi para o Egito,
Jacó viveu como estrangeiro na terra de Cam.
24Deus fez proliferar o seu povo,
tornou-o mais poderoso
do que os seus adversários
25e mudou o coração deles
para que odiassem o seu povo,
para que tramassem contra os seus servos.
26Então enviou seu servo Moisés,
e Arão, a quem tinha escolhido,
27por meio dos quais realizou
os seus sinais milagrosos
e as suas maravilhas na terra de Cam.
28Ele enviou trevas, e houve trevas,
e eles não se rebelaram#105.28 A Septuaginta e a Versão Siríaca dizem mas eles se rebelaram. contra as suas palavras.
29Ele transformou as águas deles em sangue,
causando a morte dos seus peixes.
30A terra deles ficou infestada de rãs,
até mesmo os aposentos reais.
31Ele ordenou, e enxames de moscas e piolhos#105.31 Ou mosquitos
invadiram o território deles.
32Deu-lhes granizo, em vez de chuva,
e raios flamejantes por toda a sua terra;
33arrasou as suas videiras e figueiras
e destruiu as árvores do seu território.
34Ordenou, e vieram enxames de gafanhotos,
gafanhotos inumeráveis,
35e devoraram toda a vegetação daquela terra,
e consumiram tudo o que a lavoura produziu.
36Depois matou todos os primogênitos
da terra deles,
todas as primícias da sua virilidade.
37Ele tirou de lá Israel,
que saiu cheio de prata e ouro.
Não havia em suas tribos quem fraquejasse.
38Os egípcios alegraram-se quando eles saíram,
pois estavam com verdadeiro pavor
dos israelitas.
39Ele estendeu uma nuvem para lhes dar sombra,
e fogo para iluminar a noite.
40Pediram, e ele enviou codornizes
e saciou-os com pão do céu.
41Ele fendeu a rocha, e jorrou água,
que escorreu como um rio pelo deserto.
42Pois ele se lembrou da santa promessa
que fizera ao seu servo Abraão.
43Fez o seu povo sair cheio de júbilo
e os seus escolhidos com cânticos alegres.
44Deu-lhes as terras das nações,
e eles tomaram posse
do fruto do trabalho de outros povos,
45para que obedecessem aos seus decretos
e guardassem as suas leis.
Aleluia!