28
1O ímpio foge,
embora ninguém o persiga,
mas os justos são corajosos como o leão.
2Os pecados de uma nação fazem mudar
sempre os seus governantes,
mas a ordem se mantém
com um líder sábio e sensato.
3O pobre que se torna poderoso
e oprime os pobres
é como a tempestade súbita
que destrói toda a plantação.
4Os que abandonam a lei
elogiam os ímpios,
mas os que obedecem à lei
lutam contra eles.
5Os homens maus
não entendem a justiça,
mas os que buscam o Senhor
a entendem plenamente.
6Melhor é o pobre íntegro em sua conduta
do que o rico perverso em seus caminhos.
7Quem obedece à lei é filho sábio,
mas o companheiro dos glutões
envergonha o pai.
8Quem aumenta sua riqueza
com juros exorbitantes
ajunta para algum outro,
que será bondoso com os pobres.
9Se alguém se recusa a ouvir a lei,
até suas orações serão detestáveis.
10Quem leva o homem direito
pelo mau caminho
cairá ele mesmo
na armadilha que preparou,
mas o que não se deixa corromper
terá boa recompensa.
11O rico pode até se julgar sábio,
mas o pobre que tem discernimento
o conhece a fundo.
12Quando os justos triunfam,
há prosperidade geral#28.12 Ou grande alegria;
mas, quando os ímpios sobem ao poder,
os homens tratam de esconder-se.
13Quem esconde os seus pecados
não prospera,
mas quem os confessa e os abandona
encontra misericórdia.
14Como é feliz o homem constante
no temor do Senhor!
Mas quem endurece o coração
cairá na desgraça.
15Como um leão que ruge ou um urso feroz
é o ímpio que governa
um povo necessitado.
16O governante sem discernimento
aumenta as opressões,
mas os que odeiam o ganho desonesto
prolongarão o seu governo.
17O assassino atormentado pela culpa
será fugitivo até a morte;
que ninguém o proteja!
18Quem procede com integridade
viverá seguro,
mas quem procede com perversidade
de repente cairá.
19Quem lavra sua terra
terá comida com fartura,
mas quem persegue fantasias
se fartará de miséria.
20O fiel será ricamente abençoado,
mas quem tenta enriquecer-se depressa
não ficará sem castigo.
21Agir com parcialidade não é bom;
Pois até por um pedaço de pão
o homem se dispõe a fazer o mal.
22O invejoso é ávido por riquezas
e não percebe que a pobreza o aguarda.
23Quem repreende o próximo
obterá por fim mais favor
do que aquele que só sabe bajular.
24Quem rouba seu pai ou sua mãe
e diz: “Não é errado”,
é amigo de quem destrói.
25O ganancioso provoca brigas,
mas quem confia no Senhor prosperará.
26Quem confia em si mesmo é insensato,
mas quem anda segundo a sabedoria
não corre perigo.
27Quem dá aos pobres
não passará necessidade,
mas quem fecha os olhos para não vê-los
sofrerá muitas maldições.
28Quando os ímpios sobem ao poder,
o povo se esconde;
mas, quando eles sucumbem,
os justos florescem.